Livre-se de oito situações de raiva na dieta

Saiba driblar momentos que te deixam irritado ao restringir a alimentação

POR LETÍCIA GONÇALVES - ATUALIZADO EM 09/06/2011

Fazer dieta para emagrecer pode tirar qualquer um do sério - e com razão! Deixar de lado uma saborosa sobremesa de chocolate para comer uma singela maçã parece ser pouco agradável. Segundo um recente estudo da Universidade de Califórnia (EUA), essa troca de opções contra a vontade da pessoa exige um esforço de autocontrole, que é justamente o responsável por um sentimento nada agradável: a raiva.

Os pesquisadores avaliaram o sentimento dos participantes ao terem de fazer escolhas, como entre um chocolate e uma maçã. Os resultados indicaram que a necessidade de se controlar na dieta - escolhendo a maçã, nesse caso - desgasta a pessoa, que fica menos propensa a usar o autocontrole novamente e torna ainda mais difícil controlar o comportamento agressivo.

A boa notícia é que esse dilema pode ter saída. Os autores do experimento sugerem evitar momentos em que seja preciso usar esse autocontrole para escolher uma comida mais saudável. Confira quais são essas situações mais comuns e saiba como revertê-las.

1. Situação: dietas muito restritivas, como só com sopas e shakes ou sem nenhum carboidrato.

Você perde a conta de quantos alimentos tem vontade de comer por limitar sua alimentação a poucas opções. "Essas dietas podem deixar a pessoa com raiva e com outros sentimentos negativos, uma vez que haverá carência de nutrientes", afirma a nutricionista Vanessa.

2. Alternativa: a melhor dieta é a balanceada, com todos os nutrientes necessários nas quantidades certas. "É claro que funciona você comer só salada, sopa ou líquidos durante uma semana. Vai perder peso rápido, sim. Mas, e depois? Não vai conseguir comer isso o resto da vida. É aí que vem o problema de voltar à vida normal, engordar tudo de novo e cair no 'efeito sanfona'", adverte a nutricionista Fernanda.

Segundo ela, dietas muito limitativas fazem a pessoa emagrecer sem saúde e perder a autoestima e a disposição. "O ideal é fazer uma reeducação alimentar, pois haverá escolhas melhores com a quantidade necessária para o nosso corpo trabalhar", completa.