Oito cuidados na alimentação para quem tem DPOC

Embutidos e carboidratos causam uma sobrecarga de trabalho dos pulmões

POR LETÍCIA GONÇALVES - ATUALIZADO EM 27/07/2016

A Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) é um problema que afeta mais de cinco milhões de brasileiros, de acordo com o Ministério da Saúde. Para controlar a doença, todo cuidado com a alimentação é pouco. Segundo a pneumologista Mônica Corso, quase metade dos pacientes apresenta baixo peso e maior risco de desnutrição. "Essas pessoas precisam gastar mais energia para respirar, têm maior atrofia muscular pela falta de exercício físico e possuem baixa oxigenação no sangue, fatores que provocam perda de peso e massa muscular", explica a médica. Para repor os quilos perdidos sem sobrecarregar demais os pulmões, é preciso adotar os cuidados que médicos e estudos científicos apontam a seguir.

Aumentar a ingestão de gorduras e diminuir a ingestão de carboidratos

Carboidratos, como pães e massas, são necessários para que o corpo tenha energia, mas o excesso deles pode prejudicar o trabalho dos pulmões. "Quando são metabolizados, esses nutrientes aumentam a produção de gás carbônico, que precisará ser eliminado pela respiração", conta Mônica Corso. Isso significa que o paciente terá que gastar bem mais energia para respirar e eliminar essa quantidade maior de gás carbônico do corpo.

Já as gorduras são as que menos produzem esse gás. Portanto, médicos recomendam balancear a alimentação com gordura e carboidratos para conseguir ter energia sem sobrecarregar demais os pulmões. As melhores opções são as gorduras monoinsaturadas e polinsaturadas, encontradas em óleos vegetais, castanhas e abacate.