Carne processada é responsável por uma em cada 30 mortes

Estudo afirma que bacon e presunto elevam risco de doenças cardíacas

POR REDAÇÃO - PUBLICADO EM 07/03/2013

Feita com a combinação de restos de animais e com alto teor de gorduras, as carnes processadas são conhecidas por não trazer qualquer benefício à saúde. Agora, uma pesquisa da British Heart Foundation feita em dez países da Europa descobriu que o consumo excessivo desses alimentos é responsável por uma em cada 30 mortes no continente. O trabalho foi publicado em março na revista BMC Medicine.

Os cientistas avaliaram os hábitos alimentares de 450 mil pessoas por meio de questionários, além de acompanhar o histórico médico dos participantes durante 13 anos em média. Destes, 26.344 pacientes morreram durante o estudo, sendo que os que consumiam carne processada com frequência tinham 44% mais probabilidade de morrer prematuramente do que os demais, principalmente em decorrência do câncer ou doenças cardiovasculares. A pesquisa apontou ainda que aqueles que comiam mais de 160 gramas de carne processada diariamente - o que equivale a três salsichas - tinham 72% mais chances de morrer de doenças cardíacas.

Segundo os autores, se a sua refeição é recheada de bacon, presunto e salsicha, o melhor é rever os hábitos alimentares. A partir dos resultados do estudo, os especialistas sugerem um limite de 20 gramas por dia de carne processada, isso se a pessoa mantiver outros hábitos saudáveis.

Faça mudanças na dieta e proteja sua saúde
Uma pesquisa do Instituto Dante Pazzanese, em São Paulo, mostrou que a maioria das pessoas não sabe reconhecer os alimentos que prejudicam o coração. O levantamento incluiu 600 voluntários, portadores de doenças como pressão alta, diabetes, obesidade e colesterol elevado. Pensando nisso, pedimos a nutricionistas que indicassem as melhores e as piores opções de alimentos para pessoas que querem manter o coração saudável por muitos anos:

1. O perigo: leite integral

Alimentos de origem animal costumam ser ricos em gordura saturada. "Esse tipo de gordura traz prejuízos à saúde do coração, pois pode causar aterosclerose, aumento do colesterol e infarto", explica a nutricionista Bruna Murta, da rede Mundo Verde, em São Paulo.

2. O amigo: leite desnatado

Apesar de também ser de origem animal, o leite desnatado é isento de gordura. Se você não gosta muito do sabor mais "aguado", pode optar pelo semidesnatado. "O leite semidesnatado chega a ter oito vezes a menos de gordura do que o integral", diz a nutricionista Paula Castilho, da clínica Sabor Integral Consultoria em Nutrição, em São Paulo.