Sentir culpa depois de comer pode atrapalhar a perda de peso

Pesquisa diz que sentimento também está relacionado com descontrole alimentar

POR REDAÇÃO - PUBLICADO EM 02/12/2013

Da próxima vez for comer um pedaço de bolo de chocolate, certifique-se de aproveitar cada migalha. Uma equipe de psicólogos da Universidade de Canterbury, na Nova Zelândia, descobriu que a forma como encaramos os alimentos podem interferir no ganho de peso, ou seja, pessoas que se sentem culpadas depois de escorregar na dieta podem ter mais chances de acumular os quilos na balança. Os resultados, publicados na edição online de Novembro da revista Appetite.

Os pesquisadores recrutaram quase 300 voluntários, com idades entre 18 e 86 anos, e questionou sobre seus hábitos alimentares e se eles estavam tentando perder peso. O estudo examinou uma associação padrão de ?culpa? ou ?comemoração? dos participantes frente a um bolo de chocolate, e as diferentes atitudes foram relacionadas com o controle comportamental de alimentação saudável e com a mudança de peso em um período de 18 meses.

O trabalho mostrou que as pessoas que sentiram culpa não mostraram atitudes mais positivas ou mais esforçadas para se manterem saudáveis, se comparadas com aquelas que celebravam o bolo de chocolate. Em vez disso, as pessoas culpadas mostravam menos controle para comer e falhavam em manter seu peso ao longo dos 18 meses, se comparados com aqueles que celebravam o alimento. As mulheres tendem a ser mais afetadas por sentimentos de culpa que os homens quando se trata de comida.

Segundo os autores, esses sentimentos de culpa são muito semelhantes ao que acontece com os distúrbios alimentares, em que a pessoa se sente culpada por ter comido, passa um período fazendo uma dieta restritiva e pode ter episódios de compulsão alimentar. Eles afirmam que esse tipo de comportamento pode ser profundamente enraizado e muito difícil de mudar.

Acerte nos primeiros passos da dieta
Você está ansioso pela chegada da próxima segunda-feira. Tanta expectativa tem motivo: é o dia em que você pretende dar a largada a uma séria dieta. Desta vez, porém, abandonando o radicalismo que faz os quilos perdidos voltarem em tempo recorde. Mas a consciência de que dietas restritivas não são recomendadas nem sempre é sinônimo de conhecimento sobre as regrinhas da boa alimentação. A responsável pela equipe nutricional do Minha Vida, Roberta Stella, ressalta que quem deseja seguir um programa de reeducação alimentar precisa, antes de tudo, lembrar que muitos hábitos (e garfadas) precisam ser modificados. O mais importante é não ser resistente a essas mudanças.

Fuja dos cardápios monótonos

O que não falta é variedade de frutas, legumes e verduras. Por isso, inclua muitos deles no seu cardápio. "Alimentação adequada pede variedade de alimentos", reforça Roberta. Não se esqueça de completar o menu com diferentes tipos de carnes, cereais, leguminosas, leites e derivados, grupos alimentares essenciais para a alimentação diária.