Dieta mediterrânea reduz em 5 anos o envelhecimento do cérebro, mostra estudo

Estudo com idosos mostrou que aqueles que seguem essa alimentação tinham maior volume cerebral

POR REDAÇÃO - ATUALIZADO EM 01/08/2016

Não é de hoje que a dieta mediterrânea é aclamada como sinônimo de uma vida mais saudável. Esse método alimentar, muito comum na Grécia, sul da Itália e sul da França prega uma alimentação rica em gorduras saudáveis (como o azeite de oliva), vegetais, leguminosas, oleaginosas e vegetais, com um menor consumo de carne vermelha e laticínios.

Agora, um novo estudo, publicado dia 21 de outubro na revista científica Neurology, apontou os benefícios desses hábitos alimentares para a saúde da mente. Especialistas da Universidade de Columbia, em Nova York (Estados Unidos) convocaram 674 pessoas com mais de 80 anos e que não tivessem diagnóstico de demência, para questioná-las sobre seus hábitos e escolhas alimentares. Eles foram então separados em dois grupos: quem adotava ao menos cinco componentes da dieta mediterrânea e quem não adotava.

Sete meses depois desse questionário, os participantes se submeteram a escaneamentos do cérebro, em que os cientistas puderam analisar o tamanho desse órgão. Ao comparar os dois grupos, os participantes que seguiam a dieta mediterrânea tinham o cérebro 13 milímetros maior, com a massa cinzenta 5 mm mais larga e a massa branca 6,41 mm maior.

Para esclarecer, o cérebro costuma reduzir de tamanho com a idade. Mas, de acordo com os especialistas, o cérebro das pessoas que seguiam a dieta mediterrânea era proporcionalmente 5 anos mais jovem do que dos outros participantes, ou seja, tinha a redução de um cérebro 5 anos mais novo.

Quer adotar a dieta mediterrânea? Veja a seguir os principais preceitos dessa forma de se alimentar:

Tempere com azeite

Pesquisadores atribuem todos os benefícios do azeite à versão extravirgem, que é o mais nobre, obtida na primeira prensagem das azeitonas. Ele é o campeão em gorduras monoinsaturadas que protegem o coração. Mas, nem por isso, óleos de canola, de milho, girassol ou soja são considerados vilões. Eles também garantem a sua porcentagem de defesa contra os níveis de mau colesterol. O ideal é ingerir de uma a duas colheres de sopa de azeite por dia, pois apesar de saudável, ele é muito calórico - cada colher tem aproximadamente 90 calorias.