Ansiedade

POR REDAÇÃO - PUBLICADO EM 08/08/2004

Você é ansioso?

A ansiedade generalizada é um transtorno psiquiátrico caracterizado por três sintomas principais: preocupações, ansiedade e tensão. A ansiedade generalizada é bastante comum, podendo afetar até 5% das pessoas. As pessoas que sofrem de ansiedade generalizada podem experimentar importantes limitações em vários aspectos de suas vidas, incluindo trabalho, convívio social e vida afetiva. Existem tratamentos efetivos para a ansiedade generalizada. Estes tratamentos incluem o uso de medicamentos e psicoterapia. As preocupações são comuns na vida de todas as pessoas. Determinadas vivências ou circunstâncias podem agravar preocupações ou mesmo produzi-las. Entretanto, portadores de ansiedade generalizada preocupam-se constantemente, na maior parte do dia, quase todos os dias. Nesse sentido, as preocupações ligadas à ansiedade generalizada são diferentes das preocupações normais. Nos portadores de ansiedade generalizada há a constante expectativa de que o pior vai acontecer. Por exemplo, uma portadora do transtorno de ansiedade generalizada pensará em uma pneumonia fatal cada vez que seu filho tossir. Em situações normais, uma crise de tosse passaria desapercebida, ou geraria um nível baixo de preocupação. Já a ansiedade é uma emoção normal. Todas as pessoas sentem ansiedade, em graus variados, quando se sentem ameaçadas. A sensação de ansiedade pode ser inclusive um forma de defesa. Por exemplo, uma pessoa pode ficar ansiosa ao perceber que se encontra em um local perigoso. Nessa situação, a ansiedade funcionará como um alarme, mobilizando uma reação ao perigo. Um certo nível de ansiedade é, portanto, normal e mesmo desejável. Na ansiedade generalizada, a ansiedade não ocorre apenas como uma reposta a situações de vida.

Está presente quase todo o tempo, prejudicando a execução de tarefas diárias. Deixa a sensação de estar sempre no limite. Isso leva a incapacidade de relaxar e, por conseguinte, à sensação de cansaço, esgotamento. Muitas pessoas acreditam que uma pessoa ansiosa pode ser mais produtiva, dispondo de mais energia, o que não é verdade. Ansiedade generalizada funciona como um ""desperdício de energia"", pois o paciente está alerta o tempo todo e tem dificuldade para tocar-se em coisas realmente importantes. Uma sensação freqüente em portadores de ansiedade generalizada é de que a ansiedade paralisa, impede a realização de tarefas normais devido ao constante medo de que algo desastroso possa advir de suas atitudes. Os sintomas comuns da ansiedade generalizada incluem: inquietude, sensação de estar ""sempre ligado"", cansaço fácil, dificuldade para concentrar-se, irritação, tensão muscular e dificuldades com o sono. Muitas vezes, mal-estar corporal ocorre como conseqüência da tensão permanente. Nesse caso podem ocorrer sintomas digestivos (como dificuldade para engolir e enjôo), sintomas cardiovasculares (como palpitação ou dor no peito), sintomas respiratórios (falta de ar, sensação que o ar ""não vai até o fundo dos pulmões"") e dores no corpo, principalmente na região da cabeça, pescoço e coluna vertebral.





Ansiedade e preocupação constantes, excessivas e difíceis de controlar são os sintomas principais. Em geral a duração dos sintomas é longa, e muitos portadores do transtorno se descrevem como ansiosos desde a infância. A causa da ansiedade generalizada não é completamente conhecida. Acredita-se que fatores genéticos sejam importantes. Ou seja, certos indivíduos podem herdar uma predisposição para desenvolverem a ansiedade generalizada. Um ambiente estressante, particularmente na infância, pode ser predisponente à ansiedade generalizada. Da mesma forma, determinadas crenças ou princípios de vida podem predispor um individuo à ansiedade. Por exemplo, se um individuo acredita firmemente que sempre que perder o controle de uma determinada situação ocorrerá um desastre, naturalmente, situações de incerteza aumentarão seu nível de ansiedade. O tratamento da ansiedade generalizada pode ser realizado com medicamentos ou psicoterapias ou uma combinação das duas modalidades. Os medicamentos utilizados para tratar a ansiedade generalizada são os antidepressivos, os benzodiazepínicos e as azapironas. A psicoterapia mais utilizada no tratamento da ansiedade generalizada se chama cognitivo-comportamental. Esse tipo de tratamento auxilia o paciente a dar-se conta das distorções que faz da realidade e do excesso de preocupação. Como conseqüência do tratamento, os portadores do transtorno podem aprender controlar melhor seus pensamentos negativos e distorcidos. O tratamento com a medicação e/ou terapia produz um grande alivio nos sintomas de ansiedade generalizada. Procurar auxilio especializado é o primeiro passo. Ansiedade generalizada não é um defeito, mas sim um diagnóstico. Identificar o problema e trata-lo pode ser o fim de longos anos de preocupação, ansiedade extensões excessivas.



Os tratamentos com antidepressivos são atualmente considerados tratamento de primeira escolha para a ansiedade generalizada. Mesmo que o individuo não se encontre deprimido, este tipo de medicação age reduzindo os sintomas de ansiedade. Além disso, em torno de 60% o pacientes que sofrem de ansiedade generalizada também apresentam depressão. O uso de medicações com efeito antidepressivo pode ser vantajoso em alguns casos de ansiedade generalizada. Os efeitos colaterais dos antidepressivos em geral são mais intensos no inicio do tratamento e diminuem após algumas semanas. Da mesma forma, o efeito terapêutico dessas medicações demora em torno de três semanas para ocorrer de forma completa. O uso de antidepressivos em pacientes com a ansiedade generalizada é recomendado por um período de seis meses a um ano após a obtenção da melhora. Esse tempo de tratamento é recomendado, pois a ansiedade generalizada tende muitas vezes a se tornar um problema crônico e recaídas são freqüentes. Portanto, a recomendação é de que, quando iniciado o tratamento, o uso da medicação não seja interrompido após a melhora dos sintomas. Quando a interrupção do tratamento for realizada, deve ser feita sob indicação e supervisão médicas. O uso da medicação adequada e dose corretas está associado a uma importante melhora do quadro. Boa parte dos pacientes tornam-se assintomáticos com tratamento e a recaída no quadro de ansiedade generalizada pode ser prevenida com o uso continuado da medicação.

Fonte: Wyeth









PUBLICIDADE