Cérebro e intestino: descubra a incrível conexão entre essas partes do corpo

O intestino tem neurônios com uma alta produção de serotonina, responsável pela sensação de bem-estar

ARTIGO DE ESPECIALISTA - PUBLICADO EM 03/01/2019

Dr. Durval Ribas
Nutrologia - CRM 40093/SP
especialista minha vida

Aquele frio na barriga ou no estômago que sentimos quando estamos ansiosos ou preocupados com alguma coisa e a sensação de fome, que pode gerar até dor de cabeça, fazem parte de uma conexão constante entre o nosso cérebro e o intestino.

PUBLICIDADE

Eles se comunicam de uma forma bastante dinâmica e complexa. Isso porque, para quem não sabe, o intestino tem neurônios e aloja inúmeras bactérias que participam de processos importantíssimos ao organismo.

Quando falamos em neurônios, são sim os mesmos que constituem o cérebro, e eles também ficam alojados no abdômen e têm uma alta produção de serotonina, a molécula que nos leva ao estado de bem-estar.

E eles não estão sozinhos: a flora intestinal, conhecida como microbiota, também interfere na comunicação entre o cérebro e o intestino. Hoje, evidências científicas mostram que problemas psicológicos e psiquiátricos podem não ter apenas a sua origem no cérebro, como acreditava-se antes, mas sim sofrer grande influência da microbiota.

A microbiota, por sua vez, tem imensa importância. Uma microbiota intestinal equilibrada com o bem-estar do nosso sistema digestivo, reduz, por exemplo, os casos de constipação e flatulência. E não é só isso. O ecossistema presente no intestino, e habitado por inúmeras bactérias, contribui com a regulação de várias funções fisiológicas, inclusive, com a produção de imunidade contra os agentes patogênicos (possíveis causadores de doenças), conforme apontou um estudo da Faculdade de Medicina do Imperial College London, na Inglaterra.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Portanto, uma rotina que inclui a prática de exercícios físicos regulares e uma alimentação balanceada ajuda a manter o bom funcionamento da microbiota intestinal. E, se ela vai bem, o intestino também fica bem. E o cérebro acaba se beneficiando desse bem-estar, assim como a saúde do corpo em geral. O caminho é um só, procure ter sempre um estilo de vida saudável!