Exame mede a queima de calorias do seu corpo

O raio-x do metabolismo permite fazer ajustes perfeitos na dieta

POR REDAÇÃO - PUBLICADO EM 24/10/2008

Você controla o apetite, faz exercícios e, ainda assim, não emagrece. Será que seu metabolismo anda trapaceando sua dieta? Para ter certeza disso, o teste de calorimetria é a melhor opção. A partir de um aparelho, o médico consegue calcular com precisão de a quantidade de calorias que você consome é adequada ao seu perfil. Com os resultados, podemos fazer ajustes e equilibrar o consumo e carboidratos, proteínas e gorduras , afirma o nutrólogo Leandro Vaz, especialista em Medicina do Esporte do Golden Spa em Brasília. Na entrevista que você lê abaixo, ele conta como funciona este exame ainda pouco conhecido no Brasil e mostra como usar a medição para alcançar o peso ideal.

1. Para que serve um teste de calorimetria?
A calorimetria indireta é um exame utilizado para medir a taxa metabólica basal (quantidade mínima de calorias de que seu organismo precisa para funcionar). O organismo consome uma quantidade fixa de oxigênio a cada caloria oxidada. Pela diferença entre a quantidade de oxigênio no ar inspirado e expirado, o aparelho calcula com precisão quantas calorias o corpo está queimando naquele momento.

2. E existe um padrão de queima?
Não, cada pessoa tem a sua própria taxa metabólica basal. Duas pessoas com mesma idade, sexo, peso e altura provavelmente terão metabolismos energéticos diferentes.

3. Como é feito o teste?
O exame é realizado em consultório, dura aproximadamente 20 minutos, e é totalmente indolor. É necessário que o paciente esteja em repouso, em ambiente calmo e completamente relaxado. Consumo de alimentos, atividade física intensa, situações estressantes e uso de estimulantes (cafeína, por exemplo) podem elevar o metabolismo e devem ser evitados nas horas que antecedem o exame. Durante o procedimento, após a colocação de um clipe nasal (para impedir que o ar expirado saia pelas narinas), o paciente é orientado a respirar por um bocal que leva o ar diretamente ao aparelho para que a quantidade de oxigênio eliminada seja medida. Este processo dura de 10 a 15 minutos. Os dados são inseridos em um programa de computador, que irá fornecer a taxa metabólica basal do paciente em Kcal/dia.

4. Como ocorre a análise dos resultados?
A taxa metabólica basal do paciente, obtida no exame, é comparada com a taxa metabólica que seria esperada para uma pessoa de mesmo sexo, idade, peso e altura. Uma variação de até 10% para mais ou para menos é considerada normal.

5. E de que forma o resultado pode ser usado para o controle de peso?
Pessoas com metabolismo lento (abaixo da variação normal) têm mais facilidade de ganhar peso, pois necessitam de menor quantidade de alimentos para suas funções orgânicas. Nestes casos, várias estratégias de tratamento como o tipo de dieta, uso de suplementos e algumas mudanças de estilo de vida podem ser utilizadas para promover um aumento do metabolismo basal e conseqüente melhora dos resultados.

Por outro lado, em pessoas com metabolismo normal ou aumentado, o tratamento do excesso de peso será direcionado para a quantidade de calorias ingeridas e, em alguns casos, no controle do apetite ou compulsão. Dessa forma, através dos gases da respiração, é mensurado o gasto calórico gasto em repouso absoluto.

6. O teste precisa ser refeito com que intervalo?
É interessante que o exame seja feito a cada seis meses. O metabolismo é trabalhado através de atividade física, de uma dieta balanceada e uma boa suplementação, ou seja, à medida que ajustamos nosso organismo, o metabolismo tende a se regular.

7. Há alguma restrição para fazer o teste?
Sim, o paciente não deve: a) Freqüentar saunas 12 horas antes; b) Consumir bebidas alcoólicas no dia do exame; c) Consumir bebidas a base de cafeína (café, chocolate, chá, bebidas energéticas, refrigerantes, dentre outros) no dia do exame; d) Realizar refeições e/ou ingerir líquidos 3-4 horas antes.

8. Existe uma graduação que indique se o resultado foi satisfatório ou insuficiente?
Existe um parâmetro que mostra a situação real comparada à ideal de cada organismo. Todos deveriam ter um gasto calórico de 50% de carboidratos, 30% de gorduras e 20% de proteínas, isto é o ideal e que não acontece na maioria dos casos de pessoas que têm sobrepeso. A maioria deles tem déficit na queima de um dos três elementos (carboidrato, gordura ou proteína).

9. O que é entendido por metabolismo lento? Metabolismo lento significa organismo preguiçoso. A calorimetria detecta a quantidade de calorias que o organismo necessita para se manter vivo (metabolismo basal). È a energia necessária para o coração bater, para os rins funcionarem e assim por diante. Cada indivíduo, dependendo da sua idade, peso, altura, qualidade de vida (se pratica ou não atividade física e variedade/qualidade de alimentação) tem uma expectativa de gasto metabólico.

10. Por que ele é prejudicial?
Um metabolismo lento gasta menos calorias para se manter, simplesmente isso. Por isso, ele precisa de menos alimento para se manter vivo. Então, se você ingere uma quantidade superior, começa a sofrer com o sobrepeso.

PUBLICIDADE