Dieta com muitas gorduras prejudica fertilidade da mulher

Acumuladas, elas aumentam os níveis de hormônios masculinos

POR REDAÇÃO - PUBLICADO EM 05/03/2009

Você tem tentando engravidar e está com dificuldade? Se os exames indicam que não há nenhum problema mais sério no seu organismo (e nem no do seu marido), vale pensa no seu peso. Isso porque a obesidade traz, entre varias complicações, uma série de alterações hormonais que podem comprometer a fertilidade da mulher.

"Sobrepeso e obesidade, independente de se associarem a problemas hormonais (como a Síndrome dos Ovários Policísticos) podem causar irregularidade menstrual e falhas ou mesmo suspensão da ovulação", afirma a endocrinologista Ellen Simone Paiva, diretora clínica do CITEN - Centro Integrado de Terapia Nutricional.

Segundo a médica, isso ocorre por conta da progressiva resistência insulínica que o ganho de peso causa e pelas alterações hormonais decorrentes do excesso de gordura corporal. Na mulher obesa, com ou sem resistência insulínica, sempre há excessiva produção de hormônios masculinos, que interferem na ovulação. "Por isso é muito comum ocorrer a regularização de ciclos menstruais anteriormente irregulares e/ou a ovulação normal em mulheres que eram obesas e perderam peso", diz a endocrinologista.

Geralmente, a obesidade está relacionada à dificuldade de engravidar. Mas somente o sobrepeso já pode atrasar os seus planos de ser mãe caso seja diagnosticado um caso de resistência à insulina (e, portanto, as alterações metabólicas que comprometem a ovulação). Sendo assim, mesmo que nenhum alimento favoreça a fertilidade, a verdade é que uma dieta balanceada aumenta suas chances de gerar um bebê.

E não só pelo equilibro na quantidade de gorduras, mas também porque a alimentação evita várias doenças, como a anemia. Se a sua saúde estiver fragilizada, o organismo vai evitar ao máximo a formação de um bebê afinal, os nutrientes disponíveis não sendo suficientes nem mesmo para você.

Por isso, a magreza excessiva também atrapalha uma gestação. "O ideal é manter o índice de massa corpórea entre 20 e 24", afirma a ginecologista Maria Cecília Erthal, ginecologista e diretora-médica do Centro de Fertilidade da Rede D'Or.

Agora, quando o problema é a ansiedade, a alimentação tem pouco a oferecer segundo a endocrinologista. "Não há alimentos que diminuem a ansiedade. Alguns deles são mais agradáveis ao paladar e podem ser ingeridos nos momentos de ansiedade, daí vem sensação de bem-estar. Mas isso, aparentemente, não é devido a nenhum componente do próprio alimento", afirma a médica.

Para engravidar com saúde

Uma dieta pró-fertilidade precisa ser variada, mas ela não inclui nenhum alimento excepconal. Segundo a ginecologista Maria Cecília, seu cardápio precisa ter:

- Carnes magras (peixes e frango),
- Carboidratos de digestão lenta, tipo pão integral,
- Proteínas vegetais (feijão, lentilha), l
- Legumes, verduras (brócolis e espinafre são fonte de acído fólico) e frutas (fontes de vitaminas).

PUBLICIDADE