Dieta rica em magnésio aumenta a proteção do coração contra derrames

Mineral é encontrado em folhas escuras, oleaginosas e grãos integrais

POR REDAÇÃO - PUBLICADO EM 19/01/2012

Incluir mais magnésio na alimentação - mineral encontrado em folhas verde-escuro, como couve e espinafre, além de oleaginosas, feijões e grãos integrais - pode ajudar a prevenir derrame. A descoberta foi realizada por pesquisadores da Karolinska Institutet , em Estocolmo, na Suécia.

PUBLICIDADE

Os pesquisadores analisaram sete estudos publicados nos últimos 14 anos, que contaram, ao todo, com 250 mil pessoas acompanhadas por aproximadamente 11 anos. Dessas, por volta de 6.500 (3%) tiveram acidentes vasculares encefálicos (AVE, popularmente conhecido como AVC) durante o período.

Os pesquisadores observaram que, a cada 100mg de magnésio que uma pessoa come ao dia, seu risco de sofrer um acidente vascular encefálico isquêmico - tipo mais comum, que costuma ser causado por um coágulo sanguíneo - pode cair até 9%. Os resultados foram publicados no American Journal of Clinical Nutrition.

Antioxidantes reduzem o risco de AVC em mulheres

Fazer uma dieta rica em alimentos fonte de antioxidantes, como vegetais, frutas e grãos integrais, pode diminuir as chances de uma mulher sofrer um acidente vascular encefálico (mais conhecido como AVC ou acidente vascular cerebral. De acordo com outro estudo do Karolinska Institutet, o efeito é positivo mesmo que a pessoa já apresente um histórico de doença cardíaca ou AVC.

Ao final desse período, houve 1.322 casos de acidentes vasculares cerebrais entre as mulheres sem histórico de doença cardíaca ou derrame. Entre as mulheres com doença cardíaca ou acidente vascular cerebral anterior, houve 1.007 casos de AVC após um período aproximado de 10 anos.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Entre as mulheres com histórico de doença cardíaca ou derrame, aquelas que comeram e beberam os alimentos mais ricos em antioxidantes tiveram 45% menos chances de ter um acidente vascular cerebral hemorrágico - que pode causar sangramento no cérebro devido a um vaso sanguíneo rompido - do que as mulheres que comiam menos.

No entanto, mais estudos são necessários antes que os efeitos desse tipo de dieta no risco de AVC possam ser quantificados.