Hiperatividade também pode afetar jovens

Distração e excesso de energia são sintomas do distúrbio

POR REDAÇÃO - PUBLICADO EM 26/06/2009

Estudos realizados pela American Psychiatric Association revelaram que há uma grande incidência da hiperatividade em jovens e sua relação com fatores genéticos. Até então, acreditava-se que o distúrbio, que não tem uma causa oficialmente comprovada, era uma doença que acometia apenas crianças.

Também conhecida como Distúrbio do Déficit de Atenção (DDA), o quadro causa problemas comportamentais como distração, excesso de energia, desorganização e esquecimento.

Segundo o pesquisador Andrew Hertz, o estudo é um avanço na medida em que proporciona uma avaliação mais cuidadosa dos pacientes que antes eram enquadrados num perfil padrão. Para ele, é prematuro tratar o transtorno como um quadro clínico genérico, pois, existem variações que devem ser consideradas.

Há dois subtipos da doença e cada um deles é responsável por um comportamento específico do paciente. Um é o que se caracteriza pela falta de atenção, já o outro é o que se manifesta através da hiperatividade excessiva.

O estudo foi feito com crianças e jovens norte-americanos que foram submetidos a exames laboratoriais e acompanhados por psicólogos. Ao final do trabalho pode-se comprovar que em média 5% dos jovens apresentam o transtorno, enquanto 4% das crianças a manifestaram com a alteração.

Em todos os casos comprovou-se a presença de outros casos de DDA em familiares com parentesco próximo como os pais e irmãos, o que pode indicar um traço genético na origem da doença.

PUBLICIDADE