Dieta HCG: o que é, como funciona e dicas

A dieta HCG proporciona um emagrecimento acelerado, mas pode causar problemas de saúde graves

Saiba tudo sobre a dieta HCG - Foto: Getty Images
Saiba tudo sobre a dieta HCG

A dieta HCG tem conseguido cada vez mais adeptos nos últimos anos. Ela propõe o emagrecimento por meio do consumo de uma quantidade baixíssima de calorias junto com a aplicação ou ingestão do hormônio HCG. Contudo, diversos estudos apontaram os riscos que este método pode causar para a saúde, como embolia pulmonar e até mesmo a morte.

PUBLICIDADE

A dieta HCG conta com dois pontos básicos: o consumo do hormônio HCG, seja por meio de aplicações de injeções ou via oral, e a ingestão de apenas 500 calorias por dia. Também é orientado reduzir o consumo de carboidratos.

A dieta HCG emagrece mesmo?

A crença nesta dieta é que o hormônio HCG contribui para a perda de peso, porém isto não acontece. Esta falsa ideia surgiu décadas atrás e se baseia no fato de que em mulheres grávidas mal nutridas, o hormônio HCG, que é produzido pela placenta, irá queimar a gordura da mãe e transformá-la em energia para o feto.


Com base nesta informações, os pesquisadores levantaram a teoria de que o uso do hormônio HCG em pessoas com sobrepeso ou obesidade faria com que eles queimassem gorduras com maior facilidade. Contudo, todos os exames realizados até o momento mostraram que o hormônio HCG não contribui para o emagrecimento e ainda pode causar problemas de saúde sérios.

Pessoas que realizam a dieta HCG até podem emagrecer, porém isto ocorrerá devido à restrição de calorias. Algumas pessoas também acreditam que o hormônio HCG ajudaria a manter a massa muscular ou a proporcionar maior saciedade durante o processo de emagrecimento, porém, nenhuma pesquisa conseguiu comprovar este benefício.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Benefícios da Dieta HCG

A dieta HCG proporciona um emagrecimento acelerado, devido ao baixo consumo de calorias. No entanto, o método pode causar problemas de saúde graves, como embolia pulmonar e afetar a fertilidade masculina e feminina.

Desvantagens

Grande restrição de nutrientes: A dieta HCG prevê o consumo de apenas 500 calorias por dia, lembrando que a orientação é consumir em média 2 mil calorias diariamente. Esta quantidade tão reduzida de energia faz com que a pessoa sinta muita fome e mal-estar, fazendo com que seguir essa dieta seja muito difícil.

Alto custo: Apesar de não existir nenhuma comprovação científica de que o hormônio HCG contribui para a perda de peso, para realizar esta dieta é preciso consumir esta substância e ela custa caro. Para se ter uma ideia, gotas de HCG custam cerca de R$ 500,00 além dos custos do médico. Certamente, é muito mais barato e saudável usar o dinheiro consumindo frutas, legumes, verduras e alimentos integrais e realizar uma reeducação alimentar.

Riscos da dieta

Aumenta o risco de trombose e embolia pulmonar: O hormônio HCG estimula a coagulação. Afinal, ele é produzido ao longo da gestação e é especialmente necessário durante o parto para evitar sangramentos excessivos neste momento.

Contudo, no corpo de uma pessoa que não está grávida, o fato do hormônio HCG favorecer a coagulação torna-se um risco à vida. Isto porque ele pode levar à coagulação excessiva que por sua vez favorece uma trombose. Quando a trombose ocorre no pulmão, a pessoa desenvolve uma embolia pulmonar, complicação que pode levar à morte. Inclusive, já foram notificados casos de morte por embolia pulmonar de pessoas que realizam a dieta HCG.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Prejudica a fertilidade: Adicionar o hormônio HCG ao organismo pode comprometer a fertilidade de homens e mulheres. Isto porque quanto maior o volume de um determinado hormônio no organismo, menos nosso corpo irá produzi-lo. Isto pode alterar a hipófise que produz hormônio que estimulam os ovários e os testículos.

Problemas da baixa ingestão de calorias: A dieta HCG envolve passar até 40 dias ingerindo apenas 500 calorias diariamente. Dietas com esta quantidade tão baixa de calorias só são autorizadas em casos de risco de vida e nestas situações são realizadas com o paciente internado no hospital. Ao realizar uma dieta de 500 calorias sem estes cuidados e sem real necessidade pode levar à hipoglicemia, desmaios, náuseas, irritabilidade extrema e perda massa muscular.

Favorece o efeito sanfona: A dieta HCG não ensina a reeducação alimentar, por isso, as chances da pessoas voltarem aos hábitos alimentares pouco saudáveis são altas, o que leva ao ganho de peso. Além disso, como a dieta HCG é muito restritiva não haverá apenas a queima de gorduras, mas também de músculos. Contudo, quando o indivíduo volta para a dieta comum, o corpo quer retornar ao peso perdido, mas só recupera a gordura e então a pessoa fica mais flácida.

Recomendação

Os Conselhos de Medicina, tanto regional quanto federal, se manifestam sobre determinados assuntos após serem questionados sobre eles em consulta pública. O Conselho Regional de Medicina de Mato Grosso do Sul (CRM ? MS) foi consultado sobre a dieta HCG por uma paciente que teve o método recomendado por seu dermatologista.

Diante do questionamento, o CRM-MS emitiu o seguinte parecer no dia 22 de fevereiro de 2015: ?O uso de HCG no tratamento de obesidade não é recomendado por não apresentar evidências científicas que corroborem a sua eficácia, bem como, trata-se de terapêutica com malefícios?.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Na nota, o CRM-MS ainda destacou que a dieta HCG pode causar embolia pulmonar e que não há estudos científicos que comprovem que ele contribui para a perda de peso. Confira a nota aqui.

Fonte consultada

Roberto Navarro, médico nutrólogo.