Compare sete ácidos e escolha o melhor para a sua pele

Ácido retinoico trata acne e fotoenvelhecimento e ácido azelaico pode ser usado por gestantes

POR MANUELA PAGAN - ATUALIZADO EM 03/10/2014

Antigamente os ácidos eram exclusividade de cremes e loções manipulados a pedido do médico. Mas hoje, eles se popularizaram e fazem parte da composição de muitos cosméticos. O principal motivo para a ampliação do emprego dessas substâncias está, principalmente, na eficiência em um grande leque de ações: há ácidos ótimos para clarear manchas, outros são excelentes em amenizar cicatrizes, alguns ainda combatem acne, diminuem rugas e até estrias. No entanto, a única semelhança entre eles é o pH inferior a sete, que caracteriza as substâncias ácidas, e a irritação que causam na pele. As propriedades variam entre eles.

O uso - em cremes ou peelings - deve ser sempre feito com a recomendação do médico, mesmo em cosméticos. O motivo é que, em geral, por sensibilizar a pele para conseguir o efeito, os ácidos pedem cuidados especiais. Os principais são evitar a exposição solar, utilizar sempre protetor solar com FPS 30 ou maior e investir em produtos que hidratem e acalmem a pele. A seguir você confere uma lista com sete ácidos para o uso na pele. Descubra qual deles se encaixa as necessidades da sua pele.

Ácido kojico

O ácido kójico é derivado de fungos como Aspergillus e Penicillium e usado também como conservante alimentar para impedir o escurecimento e o apodrecimento de morangos. "Sua ação é de um despigmentante natural, eficiente e seguro, que age sobre a pele inibindo a ação e a produção da melanina, substância que causa, além do bronzeado, as manchas", explica a dermatologista Carolina Marçon, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

"O ácido kójico pode ser encontrado na forma de cremes, géis, emulsões e loções aquosas", explica a dermatologista. "Alguns produtos têm o composto como principal princípio ativo e outros possuem formulações combinadas com ácido glicólico e vitamina C, por exemplo".

A grande vantagem desse ácido é que pode ser utilizado em loções e cremes clareadores para uso diurno, pois não provoca irritações ou manchas, mesmo ocorrendo a exposição solar. Além disso, tem ação antioxidante, ajudando no combate aos radicais livres e atuando na prevenção do envelhecimento cutâneo.

A concentração utilizada é de 1 a 4%, e é muitas vezes mais efetivo na combinação com outros agentes. "Apesar de ser considerado um clareador menos potente do que a hidroquinona - ingrediente ativo mais prescrito pelos médicos dermatologistas para tratar manchas na pele - o ácido kójico não demora muito para apresentar os primeiros resultados", explica Carolina Marçon.

Cuidados: mesmo não causando irritação, é sempre importante utilizar o protetor solar com FPS de pelo menos 30 e reaplica-lo de duas em duas horas. Gestantes podem usar o ácido kojico, mas sempre com orientação e supervisão médica.