Estrias podem ser prevenidas e também possuem tratamento

Esse problema na pele é até seis vezes mais comum em mulheres

ARTIGO DE ESPECIALISTA - ATUALIZADO EM 11/05/2011

Dr. Adilson Da Costa
Dermatologia - CRM 91128/SP

As estrias de distensão, popularmente chamadas de "estrias", representam uma afecção, ou seja, uma ação maléfica, muito comum à pele que, de acordo com sua intensidade, podem levar a problemas estéticos e emocionais relevantes para quem a possui. Trata-se de lesões lineares, inicialmente rosas ou avermelhadas que evoluem, aumentando de tamanho e largura, e assumem uma coloração esbranquiçada.

Elas são de três a seis vezes mais frequentes no sexo feminino, em comparação ao masculino, e aparecem já nos primeiros anos da adolescência, com pico de instalação dos 14 aos 20 anos de idade e ocorrem por alterações nas fibras elásticas, que se fragmentam, e nas fibras colágenas, que se dispõem paralelamente à superfície da pele.

PUBLICIDADE
Elas são de três a seis vezes mais frequentes no sexo feminino, em comparação ao masculino, e aparecem já nos primeiros anos da adolescência

Existem locais em que é mais comum o aparecimento de estrias entre as mulheres e os homens. No sexo feminino, ocorrem nas nádegas, abdômen e mamas. Já no masculino no dorso, nas regiões lombar e sacral e parte externa das coxas. Outras regiões de aparecimento são no tronco e nas axilas.

As estrias ocorrem por causa da instalação de uma intensa distensão local na pele. As principais causas para isso são: crescimento intenso em pouco tempo, aumento de peso, distúrbios hormonais, principalmente os da glândula supra-renal, uso de corticóides em grande quantidade ou por longo período, contraceptivos hormonais, doenças próprias do colágeno e gravidez

Prevenção

Algumas dicas são importantes para prevenir e diminuir o aparecimento das estrias:

Alimentação: manter uma dieta equilibrada, rica em legumes, verduras, frutas, sucos e proteínas de animais de carne branca. Evitar frituras, dando mais atenção a alimentos cozidos com pouco óleo ou os grelhados. Ingerir água potável várias vezes ao dia.

Exercícios físicos: ter uma vida com um ritmo de atividade física frequente e adequado à sua condição esportiva.

Manutenção do peso: estar atento para não ganhar peso além do adequado para sua altura e constituição corporal.

Hidratação da pele: uma pele sempre hidratada, além de se manter com um aspecto jovial, impede o ressecamento e descamação, fragilizando as estruturas importantes que a constituem, como fibras elásticas e colágeno. Evitar também banhos muito quentes e/ou demorados e/ou com muito sabonete, pois ajudam a ressecar a pele.

Uso de cosméticos: usar cosméticos hidratantes várias vezes ao dia, pois ajudam a hidratar a pele.

Tratamento

O tratamento das estrias deve sempre ser orientado por um médico, que fará uma abordagem específica para cada caso.

Durante a fase em que a estria está avermelhada, orienta-se hidratação local com um bom creme hidratante e eliminação do fator causal (por exemplo, educação alimentar e exercícios, para diminuir o ganho de peso).

Quando a estria já está esbranquiçada, algumas medidas podem ser indicadas por um médico. As mais usadas são: aplicação tópica de ácidos, como retinóico, glicólico ou tricloroacético, dermoabrasão superficial, laser, cirurgia e cosméticos maquilantes que, embora não tratem, camuflam a estria, igualando-a a tonalidade da pele