A beleza da mulher que já passou dos quarenta anos

Saiba como suavizar os efeitos que o tempo causa na aparência

POR REDAÇÃO - PUBLICADO EM 28/08/2008

Passar dos 40 anos não significa mais encerrar planos, não ter expectativas, como antigamente. Esta visão tem mudado nos últimos anos, principalmente para a ala feminina... Nunca se viu tamanha participação de mulheres em faculdades, debates e atividades de recreação, como nesta etapa da vida. Isto significa que elas estão descobrindo novos valores, procurando viver intensamente, participando ativamente de atividades artísticas, procurando novas chances no mercado profissional. Com tantas ocupações, os cuidados com a beleza e a boa aparência não diminuem na terceira idade, se intensificam.

A mulher madura está mais consciente de sua importância social e aproveita essa autonomia para cultivar uma boa imagem. São pacientes que compreendem bem a passagem do tempo e sabem que jamais voltarão a ter uma aparência de 20 anos. Elas estão dispostas a melhorar o visual, sem radicalismos, pois valorizam a sua própria história de vida. Têm filhos independentes, são economicamente ativas ou aposentadas com condições de viajar e aproveitar a vida.

Medidas para valorizar o rosto
Com o avanço da idade, é preciso compreender que a pele perde a capacidade de reter água e de manter o equilíbrio na produção das fibras de colágeno e elastina. Além disso, os vasos sangüíneos passam a ter mais dificuldade para eliminar as toxinas do organismo, nutrir e oxigenar as células da epiderme. Fatores externos como estresse, fumo, excesso de exposição solar, poluição, consumo intenso de álcool e uma dieta pobre em vitaminas, proteínas e fibras também têm influência nesse processo.

Apesar da passagem de tempo ser um processo natural é possível tornar o processo de envelhecimento mais suave e menos traumático. Para diminuir o impacto do envelhecimento extrínseco, aquele provocado por agentes externos, medidas simples podem ser tomadas, como o uso de filtro solar diário. Já o chamado envelhecimento intrínseco, ou cronológico, pode ser combatido com a adoção de uma dieta saudável e de outros hábitos de vida saudáveis.

O processo de envelhecimento também varia de acordo com a raça, tipo de pele e sexo. As pessoas de pele clara, sardas e olhos claros estão mais propensas a desenvolverem o envelhecimento precoce. Quando não é mais possível prevenir, cabe ao cirurgião plástico a melhor indicação de tratamento para rejuvenescer o rosto.

Dentre as muitas possibilidades existentes destacam-se:

Minilifting
A técnica é recomendada quando a flacidez abrange apenas o rosto e não traz grandes alterações na fisionomia, normalmente a partir dos 35 anos. O resultado definitivo, livre de flacidez e rugas, pode ser percebido após cinco meses. Sob anestesia local com sedação ou geral é feita uma pequena incisão no bordo anterior das orelhas, podendo se estender para trás ou para o couro cabeludo. A cicatriz é quase imperceptível, pois fica escondida no couro cabeludo.

Blefaroplastia
Cirurgia plástica nas pálpebras, indicada quando estas estão flácidas e caídas, com excesso de pele ou bolsas de gorduras nas regiões inferiores ou superiores, que dão um aspecto cansado ao rosto. Durante a blefaroplastia é feita uma incisão na parte superior das pálpebras para retirar o excesso de pele. As bolsas são retiradas por dentro, pela conjuntiva, sem deixar cicatrizes aparentes. A aparência fica rejuvenescida, com aspecto descansado.

Lifting completo
A técnica reposiciona a pele da face e do pescoço, a fim de suavizar rugas da testa, elevar os supercílios, diminuir os pés-de-galinha, reduzir o sulco nasogeniano (entre o nariz e a boca), remover o excesso de pele e gordura do pescoço (papada) e realçar a linha mandibular. Após o primeiro mês já é possível ver os resultados, porém o aspecto definitivo só é notado ao fim de seis meses. O procedimento é realizado com anestesia local ou geral com sedação. A incisão é feita abaixo da costeleta, contorna a orelha e termina atrás da mesma. A partir daí, a pele é descolada, tracionada e o excesso é removido. O passo seguinte é a cirurgia das pálpebras. Nesse caso, são retirados o excesso de pele e as bolsas de gordura da região. Durante a realização do lifting, é possível também reposicionar as estruturas mais profundas - como os músculos - que também tornam-se mais flácidas com o tempo. No pós-operatório é comum ocorrer edemas, equimose e hipersensibilidade ou insensibilidade de algumas áreas, que desaparecem com o tempo.

Plástica do retináculo
A cirurgia corrige a ligeira queda no canto dos olhos, que acontece com o passar dos anos. Sob anestesia local, o procedimento é feito através de uma incisão na pálpebra superior, perto da cauda da sobrancelha, por onde o profissional atinge um ponto de fixação da pálpebra inferior na camada de revestimento do osso lateral aos olhos, o periósteo. Como toda cirurgia que acontece no sulco palpebral, a cicatriz fica invisível, escondida nos sulcos naturais das pálpebras.

Dr. Ruben Penteado é cirurgião plástico, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e diretor do Centro de Medicina Integrada.

Para saber mais, acesse: www.medintegrada.com.br

PUBLICIDADE