Botox ou preenchimento facial? Entenda as diferenças

Ambos os procedimentos são procurados nos consultórios por quem busca suavizar as rugas; mas cada um tem suas particularidades

ARTIGO DE ESPECIALISTA - PUBLICADO EM 08/04/2019

Dr. André Eyler
Cirurgia Plástica - CRM 667862/RJ
especialista minha vida

Quando o objetivo é rejuvenescer o rosto, tanto o botox quando o preenchimento facial são eficazes para tratar rugas, mas de formas diferentes. Antes de conhecer as particularidades de cada procedimento, é preciso entender os motivos pelos quais essas marcas surgem no rosto.

PUBLICIDADE

São dois, basicamente: 1) a atividade muscular, ligada aos movimentos faciais que repetimos no dia a dia (como o simples ato de contrair a testa, por exemplo) e 2) o próprio envelhecimento natural da pele que, com o avançar da idade, deixa de produzir colágeno e elastina, essenciais para sua firmeza.

Para tratar o primeiro caso - as chamadas rugas dinâmicas, visíveis apenas quando o rosto está em movimento -, a toxina botulínica (botox) é o procedimento mais indicado: isso porque a substância é capaz de paralisar o músculo que leva ao movimento constante de franzir a região do rosto. É como se a toxina botulínica ?esticasse? essa ruga, tratando o vinco que foi formado. Além disso, previne que novas marcas se formem ao longo do tempo.

Já o segundo cenário, decorrente da própria idade, é classificado como rugas estáticas, ou seja, que são visíveis mesmo com o rosto relaxado. Quando isso se torna um fator de incômodo, o ideal é apostar no preenchimento facial, que utiliza ácido hialurônico ou a gordura do próprio corpo para "ocupar" esse espaço dos vincos e sulcos que formam a ruga.

Vale ressaltar que os tratamentos podem se complementar - até porque, em alguns casos, pode acontecer de as rugas dinâmicas, quando não tratadas, se tornarem estáticas.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Aplicação

O botox e o preenchimento facial são feitos com uma simples seringa. Porém, as regiões na face a serem tratadas são diferentes. A toxina botulínica pode ser aplicada em torno dos olhos, na região frontal (testa), em torno dos lábios, na calda de sobrancelhas caídas e até nas maçãs do rosto e na ponta do nariz, fazendo a elevação do mesmo. Além disso, a toxina pode ser utilizada para a hiperidrose axilar, palmar e plantar (o suor excessivo em mãos, axilas e pés).

Já os preenchimentos injetáveis têm um plus que permite volumizar a região facial. Ou seja, além de suavizar rugas, são indicados para aumentar lábios finos, melhorar contornos superficiais e até a aparência das cicatrizes.

A toxina botulínica é uma proteína produzida pela bactéria Clostridium botulinum que, ao ser aplicada por injeção, em quantidades controladas, paralisa o músculo facial. Existem diferentes marcas de toxina botulínica, mas a substância utilizada é sempre a mesma.

Já nos preenchimentos faciais podem ser utilizados gordura humana ou gordura autóloga - colhida a partir de próprio corpo do paciente, pelo processo de lipoaspiração, realizado anteriormente para extrair gordura localizada - ou ácido hialurônico, substância natural no corpo humano, que ainda hidrata a pele e estimula o colágeno da região em que foi aplicado, sendo um excelente ativo para suavizar os sinais da idade.

Nenhum dos dois procedimentos exige que a pessoa se afaste das atividades de trabalho ou lazer. No entanto, a exposição solar é proibida pelo tempo que o cirurgião plástico ou dermatologista determinar.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

O botox não deixa hematomas, enquanto o preenchimento facial, dependendo da região onde for feito, pode deixar uma pequena marca arroxeada, que desaparece com o passar dos dias. Ambos não possuem contraindicações e os efeitos colaterais são raros.

Dentre os pontos negativos, se não forem bem aplicados, podem causar assimetria facial, ptose ou uma fisionomia com aspecto de inexpressividade. Cabe ao médico avaliar rigorosamente a necessidade absoluta da realização de cada um ou dos dois tratamentos. Com base nessa premissa, cabe uma ressalva: é muito importante em ambos os procedimentos, conjugados ou isolados, medir a quantidade necessária a ser utilizada, para não comprometer o visual estético e a harmonia facial.

Resultados

Os dois procedimentos têm resultado efetivo por cerca de seis a oito meses e já na primeira sessão é visível o resultado. É válido ressaltar que o tratamento não é definitivo - entretanto, podem ser realizadas várias sessões que prolongam os benefícios.