Uso de lubrificantes, vibradores e outros acessórios sexuais podem trazer riscos à saúde

A vaselina, por exemplo, compromete eficácia da camisinha; conheça os cuidados

POR NATHALIE AYRES - ATUALIZADO EM 09/09/2016

Mais do que uma forma de reprodução, o sexo também é uma fonte de prazer. Por isso mesmo, há cada vez mais espaço para fantasias, e para brinquedos que apimentem a relação. "Portanto, qualquer item que estimule o aspecto lúdico é bem-vindo e considerado saudável", considera o ginecologista Jorge José Serapião, especialista em terapia sexual. Isso inclui os famosos acessórios que fazem o sucesso dos sex shops.


SAIBA MAIS: Pompoarismo: o que é, como praticar e benefícios


Porém, apesar de serem bem-vindos do ponto de vista do prazer, é preciso tomar cuidado ao comprar esse tipo de produto, para que a saúde íntima possa ser preservada. "Como o órgão sexual da mulher é um orifício e tem uma mucosa, são necessários cuidados com traumas e lesões. E no caso do homem, não é porque é mais simples que não devemos tomar cuidado: é preciso ficar atento ao tipo de material dos produtos e não deixar a empolgação se sobrepor à cautela", alerta o urologista Valter Javaroni.

Tendo isso em mente, mostramos quais os cuidados que é preciso ter com alguns desses acessórios sexuais, para garantir sexo prazeroso e divertido para homens e mulheres.

Cremes para estreitar a vagina

Não, não existe um creme capaz de reduzir a espessura da vagina, algo que só pode ser feito com a contração muscular, treinada em exercícios como o pompoarismo. Mas então, como essas fórmulas funcionam? "Elas são compostas por substâncias que deixam o canal tão ressecado e pouco elástico, que parece que a vagina está mais estreita", explica Serapião. É o mesmo princípio do pó da pedra hume, usada por algumas mulheres com essa mesma finalidade. O uso do produto também não é recomendado e pode gerar muito desconforto para a mulher durante a relação. "Se o ressecamento for muito grande, isso pode ser irritante ou até mesmo traumático para a vagina da mulher", ressalta o especialista. Mas tudo depende, é claro, das preferências do casal, por isso, caso queira usar, o ideal é ter parcimônia.