Método Stiper é mais rápido e barato do que as agulhas de acupuntura

Uso de pastilhas na pele aumenta o metabolismo e libera energia acumulada do corpo

ARTIGO DE ESPECIALISTA - PUBLICADO EM 02/08/2010

O Stiper é uma pastilha de celulose com dióxido de silício, desenvolvida na Espanha na década de 90, com o propósito de substituir a aplicação tradicional das agulhas de acupuntura. Hoje, esse método já existe no Brasil e pode ser usado por aqueles que querem gastar menos tempo e dinheiro do que em um tratamento de acupuntura comum.

Essas pastilhas são colocadas sobre a pele com o auxilio de um adesivo e deve ser deixado no local pelo período determinado pelo acupunturista que aplicou a técnica. Elas têm a propriedade de absorver a energia do corpo e do ambiente, devolvendo-a amplificada e regulada ao corpo. Isso acontece porque um de seus componentes é o quartzo, que possui essa característica energética única. Outros efeitos gerais do produto são o relaxamento da musculatura lisa e estriada e a diminuição do tono muscular.

PUBLICIDADE

Ele pode ser aplicado nos pontos de acupuntura para que se obtenha a ação especifica de cada ponto reconduzindo a circulação do Qi e do sangue. Também pode ser utilizado nos pontos doloridos, em locais com má circulação, sob os principais chacras e nas zonas reflexas dos pés, mãos e orelhas.

Além disso ele serve como potencializador de florais, fitoterápicos, moxa elétrica e reiki, para fins estéticos, como na diminuição de olheiras, bolsa nos olhos, linhas de expressão, pode ser utilizado na veterinária, na odontologia, na fisioterapia e nos esportes.

O maior benefício do tratamento com Stiper em relação ao tratamento tradicional com agulhas é a economia, tanto de dinheiro como de tempo. Como cada sessão dura menos, e o intervalo entre cada consulta é maior, há uma diminuição no custo do tratamento. Fica a dica para as pessoas que já estão acostumadas ao tratamento de acupuntura com agulhas e quer experimentar algo novo para relaxar os músculos e renovar as energias.