5 hábitos que pioram estresse e ansiedade

Muito tempo nas redes sociais e sono de má qualidade afetam a saúde física - e também emocional

POR INFORME PUBLICITÁRIO - PUBLICADO EM 01/08/2019

Muitas vezes, levamos a vida no modo automático, apenas à espera do fim de semana. O problema é que, em meio à correria da rotina, podemos acabar repetindo alguns hábitos que agravam o estresse e a ansiedade, que diminuem significativamente a qualidade de vida e o bem-estar.

PUBLICIDADE

Pensando nisso, separamos abaixo alguns hábitos que podem estar causando estresse, ansiedade e agitação no seu dia a dia e o que fazer para evitá-los, sem prejudicar a saúde. Saiba mais:

1. Falta de exercícios

Se você se sente estressado e ansioso com frequência, saiba que o sedentarismo só piora os quadros. Uma caminhada, corrida leve ou pedalada no parque, entre outros exercícios, são exemplos de atividades que liberam endorfinas, o hormônio da felicidade e bem-estar, e ajudam a reduzir a ansiedade e agitação, por exemplo.

Além disso, durante a prática, é possível desviar a atenção dos problemas e focar apenas no exercício, na repetição de movimentos e também na respiração. Outros pontos positivos de se manter em movimento: melhora a autoestima, estimula o convívio social, diminui a tensão muscular, entre outros.

2. Sono de má qualidade

Dormir bem é um hábito que impacta a saúde de muitas formas diferentes. Durante o repouso, o cérebro consegue processar melhor as informações adquiridas ao longo do dia, armazenando todas as novidades na memória. Por isso, o sono de qualidade está associado a uma maior concentração, criatividade e aprendizagem.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Por outro lado, pessoas com hábitos negativos de sono estão mais propensas a desenvolver problemas como ansiedade e depressão, de acordo com a Sleep Health Foundation, da Austrália. Por isso, ao sentir níveis elevados de angústia, estresse, tristeza e vulnerabilidade emocional, é fundamental avaliar a qualidade do sono, além de buscar tratamento especializado.

É possível melhorar a qualidade do sono com algumas dicas simples, que você pode colocar em prática desde já: evite bebidas estimulantes, como álcool e café, no período da tarde; prefira refeições leves no jantar; mantenha o quarto pouco iluminado; não mexa em aparelhos eletrônicos, como celular e notebook, ao se deitar; e adote uma rotina regrada de sono, com horários fixos para dormir e acordar.

Alguns extratos naturais presentes em medicamento fitoterápicos, como aqueles à base de passiflora, também pode ajudar. A planta do maracujá estimula a liberação de hormônios que estimulam o relaxamento e aumentam a sensação de bem-estar, sendo benéfica em casos de insônia e agitação intensa.

3. Perfeccionismo

Ser perfeccionista não é exatamente um problema, muito pelo contrário. Trata-se de uma postura que nos estimula a sempre primar pela excelência, reconhecendo oportunidades e chances de aprendizado. O que atrapalha, na verdade, é o perfeccionismo negativo, que pode piorar o estresse e também a ansiedade.

O perfeccionismo negativo é caracterizado por preocupação excessiva em falhar, obsessão por metas irrealistas ou inatingíveis, medo da reprovação e julgamento alheios, grande dificuldade em aceitar erros (como se eles fossem provas concretas de incapacidade e falta de aptidão), insatisfação crônica e outros.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

4. Vício em redes sociais

Há quem sinta muita dificuldade em permanecer mais de cinco minutos sem checar alguma novidade nas redes sociais, que hoje estão fortemente presentes em nossas vidas. O hábito, porém, pode caracterizar vício em redes sociais, um comportamento compulsivo que pode piorar - e muito - a ansiedade.

A dependência digital pode ser tão séria quanto a dependência de substâncias químicas, como o álcool e o cigarro, e deve ser tratada de forma especializada, com orientação psicológica. Além disso, outras medidas podem ajudar no tratamento, como regrar os momentos de acesso às redes, fazer atividades físicas e focar em atividades longe do celular.

5. Alimentação inadequada

Você sabia que a alimentação também pode afetar o estado emocional? Quando apostamos em um cardápio equilibrado e balanceado, os elementos estressores no organismo têm o poder de ação reduzido. Por isso, a dica é evitar alguns vilões da alimentação saudável, como gorduras saturadas, açúcar, ultraprocessados, cafeína e álcool.

Por outro lado, vale colorir o prato e investir em alimentos que ajudam a reduzir a ansiedade, como peixes e frutos do mar, castanha-do-pará, vegetais verde-escuros, laranja, maracujá e alimentos ricos em vitaminas do complexo B.