Solidão pode levar a depressão e ansiedade, diz estudo

Pessoas solitárias sentem-se indesejadas e podem desenvolver problemas psicológicos e emocionais

POR REDAÇÃO* - ATUALIZADO EM 25/10/2018

Um estudo recente, realizado pela Universidade de Tecnologia de Swinburne, na Austrália, constatou que a solidão pode estar associada ao desenvolvimento de depressão, ansiedade social (ou fobia social) e paranoia. Para tais resultados, foi avaliada a saúde mental de 1.010 voluntários, entre 18 e 87 anos, durante 6 meses, por meio de um questionário da internet.

PUBLICIDADE

Através destes dados, a pesquisadora da instituição, Michelle Lim, avaliou que a solidão de uma pessoa deve ser analisada através da qualidade de relacionamentos que a mesma possui. Alguém pode estar rodeado de conhecidos e ainda assim se sentir sozinho, por exemplo.

Quando a pessoa se sente solitária, ela não consegue ficar à vontade e muito menos se sente desejada, compreendida ou valorizada. Tais sentimentos podem ser confundidos com a depressão, que faz a pessoa se sentir mal de uma forma mais ampla. Porém, os sintomas da solidão podem levar à outra doença.

A pesquisadora afirma que a solidão é um assunto que merece atenção, assim como os problemas psicológicos e emocionais que podem surgir junto com esse sentimento. "Nós não fomos desenvolvidos para sermos solitários. Somos uma espécie social", afirma.

Atualmente, Lim está desenvolvendo um aplicativo que ajudará a identificar pessoas que possuem risco de ter sua saúde mental afetada. Lim ainda ressalta algumas dicas para as pessoas que se sentem solitárias:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Atualmente, Lim está desenvolvendo um aplicativo que ajudará a identificar pessoas que possuem risco de ter sua saúde mental afetada. Lim ainda ressalta algumas dicas para as pessoas que se sentem solitárias:

  • Reconheça a solidão e entenda que é um sinal para fazer algo diferente do que você geralmente faz
  • Tente interagir com os outros de forma positiva, incluindo comidas saudáveis, exercícios e ar fresco
  • Mostre linguagem corporal positiva e tente se interessar pelo que os outros falam
  • Consulte um terapeuta ou converse com alguém de confiança, não deixe o que faz mal consumir você.