Ciência diz que o luto pode te matar: entenda

O luto impulsiona a depressão, que por sua vez pode diminuir a resistência do corpo e promover processos inflamatórios

POR REDAÇÃO - PUBLICADO EM 22/01/2019

Assim como qualquer fase da vida, o luto precisa ser experienciado. Entretanto, é necessário ter acompanhamento psicológico para que o sofrimento não nos traga riscos maiores, visto que um estudo publicado no ScienceAlert afirma que o momento pode levar a morte. Idosos são os mais afetados, principalmente quando são casados e perdem o(a) parceiro(a).

PUBLICIDADE

Isso acontece pois o sofrimento que o luto traz causa maiores problemas cardiovasculares e processos inflamatórios pelo corpo. Para comprovar a teoria, pesquisadores da Rice University (comandados pelo cientista Chris Fagundes), analisaram 99 pessoas que tinham perdido um cônjuge há menos de três meses.

Por que isso acontece?

Segundo os pesquisadores, o luto pode desencadear a depressão, que por sua vez aumenta os processos inflamatórios do corpo, aumentando os riscos de ataque cardíaco e mortalidade prematura.

Para comprovar a teoria, os cientistas entrevistaram os participantes e os dividiram de acordo com a gravidade de seu estado mental. Logo após, amostras de sangue foram coletadas deles. Quem estava vivenciando um luto mais severo, apresentava maiores níveis de citocina pró-inflamatória no corpo, isto é, proteínas que ?pioram? inflamações.

De acordo com o estudo, um aumento dessas proteínas no corpo corresponde a chances 17% maiores de sofrer processos inflamatórios.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Próximos passos para a ciência

"Agora que achamos essa relação, podemos desenvolver medidas de intervenção para ajudar quem esteja correndo riscos com o luto. Podemos intervir com tratamentos comportamentais ou farmacológicos", diz Chris Fagundes, autor do estudo, em entrevista ao periódico Psychoneuroendocrinology.

Como lidar com o luto

A aceitação é uma das etapas mais complexas no processo de luto. Para passar por ela, é necessário que tenhamos consciência de que todos seres são finitos, ou seja, terão um final. Segundo a psicóloga Milena Lhano, a morte nos impacta de maneira intensa porque ela nos coloca em uma posição frágil e sem controle.

Entretanto, é possível se preparar para superar: "É importante olhar para trás e ser grato por ter tido a oportunidade de ter vivido tudo o que viveu com a pessoa que se foi", aconselha Milena.