Deficiência de iodo na gravidez pode reduzir o QI dos filhos na infância

Estudo conclui que talvez seja necessária suplementação do mineral durante a gestação

POR REDAÇÃO - PUBLICADO EM 23/05/2013

Durante a gravidez, diversos nutrientes são mais do que necessários. E parece que o iodo é um deles. Independente da associação com o hipotireoidismo (afinal mulheres com esse problema não controlado podem ter crianças com deficiência cognitiva), só uma carência desse mineral no sangue já pode estar relacionado com uma queda no QI das crianças. Pelo menos é o que aponta um estudo que será publicado na edição de junho do jornal britânico The Lancet.

Os pesquisadores analisaram o banco de dados Avon Longitudinal Study of Parents and Children (ALSPAC), verificando as amostras de exame de urina de 1.040 mulheres no primeiro trimestre de gestação. Elas foram classificadas pela quantidade de iodo no líquido, as que tinham mais ou menos de 150 mcg por grama.

Depois, foi medido o quociente de inteligência (QI) de suas crianças com a idade de 8 anos, e suas habilidades de leitura aos 9 anos. Ao cruzar os resultados e fazer os ajustes de acordo com o tipo de educação e outros fatores, os cientistas perceberam que os filhos de mulheres com menor quantidade desse mineral tiveram menores resultados tanto no teste de QI verbal e habilidades de leitura. Ao subdividir esse grupo com menor quantidade de iodo, os filhos de mulheres com menos de 50mcg/g de iodo na urina tinham resultados ainda piores.

De acordo com os pesquisadores, é preciso que se observe mais a deficiência de iodo durante a gravidez e talvez até suplementar mais esse mineral durante a gestação. Vale também para a gestante buscar fontes naturais do nutriente, como itens marinhos tais quais algas, peixes e frutos do mar, e alimentos de origem animal (mesmo que em menos quantidade), como carne vermelha, ovos e leite.

Alimentação enriquecida
Outros nutrientes também são importantes durante esse período para garantir a saúde da mãe e do bebê. Para não perder nada de importante, confira quais são eles e reforce o prato nesse período.

Vitamina C

A gestante deve consumir cerca de 85mg por dia desse nutriente, pois, segundo a nutricionista Simone Freire, ele participa da formação do colágeno e auxilia na formação dos ossos, juntamente com outros minerais e vitaminas. "Essa recomendação é fácil de ser atingida, visto que os alimentos ricos em vitamina C são facilmente encontrados no Brasil", diz. A gestante deve ingerir frutas como acerola, goiaba, laranja, abacaxi, kiwi e caju.