Crianças com obesidade são mais propensas a ter asma

Estudo afirma que elas sofrem com os sintomas de forma mais grave que o normal

POR REDAÇÃO - PUBLICADO EM 07/08/2013

Um estudo feito com mais de 623 mil crianças constatou que o sobrepeso e obesidade nos pequenos aumentam as chances de asma. Segundo o trabalho desenvolvido pelo Kaiser Permanente Southern California em parceria com a American Academy of Allergy, Asthma & Immunology, crianças com obesidade também sofrem episódios mais frequentes e graves de asma, requerendo mais atenção médica e terapia medicamentosa. Os resultados foram publicados dia 07 de agosto no American Journal of Epidemiology.

Os pesquisadores examinaram registros médicos eletrônicos mantidos pela Kaiser Permanente de 623.358 crianças, com idades entre seis e 10 anos, e classificou-as de peso normal a obesidade extrema com base no peso e altura. Crianças com obesidade eram de 1,36 a 1,56 vezes mais propensas a ter asma, afirmam os autores. Eles apontam ainda que os quilos extras também podem afetar a gravidade da asma, colocando um peso adicional sobre o peito de uma criança.

De acordo com os estudiosos, a resposta inflamatória provocada pela obesidade é uma explicação para o aumento do risco de asma. Inclusive, esse processo já tem sido associado a outras doenças crônicas, tais como a doença cardíaca.

Evite as crises de asma com esses nove cuidados
Quem sofre de asma sabe o quão agoniantes esses sintomas podem ser. No Brasil, cerca de 16 milhões de pessoas sofrem com a doença. Marcada por uma forte dificuldade em respirar, a crise de asma é provocada por uma reação inflamatória nos brônquios, os tubos que levam o ar respirado até os pulmões. Em resposta a essa inflamação, eles ficam mais estreitos, dificultando a respiração. "É muito importante evitar crises, uma vez que, se forem frequentes, elas levam à perda de capacidade pulmonar", explica a pneumologista Marcia Pizzichini, da comissão de asma da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT). A boa notícia é que é totalmente possível prevenir as crises de asma. Nesse Dia Nacional de Controle da Asma, comece a seguir essas orientações e mantenha os ataques bem longe. Confira a seguir.

Exercite-se com cuidado

Uma pessoa com asma pode e deve praticar esportes, mas, para isso, a doença precisa estar controlada com o tratamento. Isso porque a desidratação das vias aéreas, em função da sudorese e do aumento constante do fluxo de ar, podem desencadear uma crise se a doença não estiver controlada. Outro mecanismo que pode levar a uma crise é o da variação de temperatura nas vias aéreas, principalmente se o ar é inspirado pela boca e atinge as vias aéreas a uma temperatura mais baixa - o que pode piorar se temperatura ambiente está mais baixa.

Por outro lado, manter uma boa hidratação e exercitar-se em ambiente saudável e com temperatura adequada ajudam a tornar a prática esportiva menos perigosa. "Se mesmo assim ainda ocorrerem crises de asma, um tratamento com broncodilatadores antecedendo a atividade física e indicado pelo médico, tende a controlar bem os sintomas", recomenda Paulo Camiz.