Resistência física diminui risco de diabetes e doenças cardíacas em adolescentes

Menor concentração de gordura corporal protege a saúde, diz estudo

POR REDAÇÃO - PUBLICADO EM 31/03/2014

É sabido que ter uma boa condição física reduz os riscos para diversos problemas de saúde. Agora, cientistas decobriram uma ligação entre a resistência física em adolescentes e redução do risco de diabetes, doença cardíaca ou AVC. Os resultados foram publicados dia 31 de março na revista Pediatrics.

Ficar em boa forma é um valor importante para incutir nos jovens, não só por criar hábitos saudáveis que podem se estender até a idade adulta, mas também porque afeta positivamente a saúde a curto e longo prazo. Pensando nisso, os pesquisadores da University of Michigan Medical School examinaram o impacto da força muscular em meninos e meninas grau.

No total, eles avaliaram dados de mais de 1.400 crianças entre 10 e 12 anos de idade. A análise incluía porcentagem de gordura corporal, nível de glicose no sangue, pressão arterial e níveis de colesterol e triglicerídeos no sangue. Os dados provêm do Programa de Intervenção Cardiovascular da Saúde, que é um estudo feito com alunos do sétimo ano em 17 escolas de Michigan, coletados entre 2005 e 2008.

A aptidão cardiorrespiratória dos participantes foi medida. Esta é a forma como o corpo é capaz de transportar oxigênio para os músculos durante o exercício prolongado e como os músculos são capazes de absorver e utilizar.

Os resultados mostraram que os adolescentes com maiores índices de resistência e massa corporal tiveram riscos "significativamente" mais baixos de diabetes e doenças cardíacas. A equipe observa que as crianças mais fortes também tendem a ter um IMC inferior, menor percentual de gordura corporal e circunferência da cintura, além de níveis de aptidão mais altos.

Os autores afirmam que este é o primeiro estudo a mostrar uma forte ligação entre a resistência física e os riscos de diabetes, doença cardíaca ou AVC em adolescentes. Dessa forma, dizem os cientistas, é importante que atividade física seja incentivada nessa idade e a alimentação seja equilibrada.

Incentive seu filho adolescente a fazer exercícios
Computadores, videogames e celulares costumam ser os melhores amigos da atual geração de adolescentes, enquanto a atividade física fica facilmente em segundo plano. O incentivo dos pais pode fazer muita diferença para evitar que o sedentarismo vire um hábito para a vida toda, porém sempre respeitando os limites e preferências dos jovens. De acordo com o psicólogo comportamental e especialista em saúde da família Alexandre Monteiro, do Rio de Janeiro, gostar dos exercícios é a melhor motivação. "O ideal seria a pessoa experimentar o maior número de atividades possível ainda na infância, de forma que se identificasse com uma em especial", explica. Nunca é tarde, entretanto, para apresentar ao seu filho o mundo dos esportes. Confira as dicas dos especialistas e tire seu filho do sofá:

Muito além da educação física

É comum os adolescentes não gostarem de praticar atividades físicas por ter como única referência as aulas na escola ou a academia de musculação, que podem ser consideradas entediantes pelo jovem. Segundo Alexandre Monteiro, uma forma interessante de descobrir novas atividades é levá-lo a clubes ou academias que ofereçam aulas variadas, como lutas e dança. "Ele pode assistir um pouco de cada aula, observar as características dos alunos e associar essa dinâmica às habilidades e preferências que ele possui", diz.