Está grávida? Movimente-se!

Exercícios, mesmo que simples, aliviam as dores nas costas e até ajudar no bom desenvolvimento do bebê

POR REDAÇÃO - PUBLICADO EM 22/05/2007

Você sabia que filhos de mães que se movimentaram mais durante a gestação costumam ter um desenvolvimento motor superior às crianças cujas mães ficaram paradas? E que boa parte dos desconfortos comuns da gravidez, como a tendência a formação de varizes, as dores nas costas e articulações e os músculos doloridos, podem ser aliviados com a prática de exercícios? (tome os cuidados adequados para manter a saúde nos nove meses)
Pois é. Cerca de metade das grávidas têm dor na parte lombar da coluna (aquela mais baixa próximo ao quadril) durante a gestação, desconforto que pode persistir no pós-parto , diz o fisioteraputa (acompanhe cada fase do desenvolvimento do seu bebê) Thomas Wildeisen, especialista em cursos posturais para gestantes. Esse problema, assim como a flacidez abdominal e da pelve pode ser minimizada com os exercícios corretos.Até a postura, gravemente afetada com o crescimento da barriga, é poupada. Fortalecendo os músculos das nádegas, costas, ombros e barriga, você mantém o corpo alinhado e reduz o desconforto associado à má postura incluindo aí até dificuldades de respiração. (conheça seus direitos e passe a gravidez sem preocupações)

"Mesmo as mulheres que têm restrições para a prática de exercícios podem se beneficiar dos movimentos, desde que contem com orientação profissional., afirma. "Trabalho tanto com gestantes que estão apenas se readaptando às alterações anatômicas e funcionais que se intensificam com a evolução da gravidez quanto com futuras mães que sofrem de hérnias de disco e outros problemas que dificultam ou impedem a prática de exercícios convencionais", conta Thomas. Ele criou um programa especial para as gestantes, composto de quatro partes básicas: massagem, fortalecimento, alongamento e equilíbrio.(veja o mês-a-mês da sua gravidez)

Sedentária ou atleta?
Uma dica básica: se você nunca se exercitou, pegue leve. A não ser que haja restrições médicas, nada impede um programa de exercícios. Mas é melhor adotar um programa no inicio do segundo trimestre de gravidez, quando o corpo já está adaptado ás transformações.(fique de bem com a balança nessa fase) Mas, antes de qualquer decisão, consulte o ginecologista responsável pelo seu pré-natal , avisa o fisioterapeuta.
Já as mulheres que se exercitavam moderadamente antes da gravidez têm mais facilidade e podem continuar treinando, basta fazer ajustes no volume e na intensidade dos exercícios. O mesmo vale para as atletas de competição. Para medir se as doses estão adequadas, além da checagem de pulso, aplique o teste da fala: se você pode conversar sem dificuldade enquanto se movimenta, sua intensidade está boa. Se não, diminua.(prepare-se para a maternidade nos cursos de gestante)



Fique alerta!
Se observar algum dos sintomas abaixo durante a prática de exercícios, pare imediatamente e procure o seu médico.



Sangramento vaginal;
Dor no abdômen ou no peito;
Perda de liquido pela vagina;
Inchaço repentino nas mãos, face ou pés;
Dor de cabeça forte e persistente;
Tonturas ou sensação de luzes piscando;
Redução perceptível dos movimentos fetais;
Áreas doloridas e avermelhadas nas pernas;
Dor forte na área púbica ou nos quadris;
Dor ou sensação de ardência ao urinar;
Fluido vaginal que provoca irritação;
Temperatura oral acima de 38º C;
Náuseas ou vômitos persistentes;
Contrações uterinas;
Palpitações no coração;
Sensação de falta de ar.

Clique aqui e veja uma série de exercícios para fazer em casa



Quando começa a treinar, em quanto tempo você já nota a diferença??



PUBLICIDADE