Programa de Combate à Obesidade Infantil: entenda como funciona

O objetivo é devolver às crianças dessa geração os 5 anos a menos que elas podem ter de expectativa de vida

POR REDAÇÃO - PUBLICADO EM 19/05/2014

O que você faria para dar mais tempo de vida para seu filho?

Quando se tem um filho, a saúde e a felicidade dele vêm sempre em primeiro lugar, certo? O problema é que muitas vezes temos alguns conceitos que não são tão exatos. Por exemplo, criança gordinha sempre foi considerada saudável, foi o que aprendemos com nossas avós. Mas, nos dias de hoje, a obesidade infantil se tornou um sinal de alerta!

PUBLICIDADE

Atualmente 1 em cada 3 crianças no Brasil está pesando mais do que deveria, de acordo com a Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF-2008/2009). feita pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Isso resulta em novos problemas de saúde que antes não atingiam os mais novos, como a hipertensão, o diabetes e o colesterol alto. E é por isso que estima-se que esta seja a primeira geração que terá uma expectativa de vida 5 anos menor do que a anterior.

Para as crianças, o perigo da obesidade é ainda maior do que para pessoas que ficaram acima do peso apenas na vida adulta. Isto porque, uma vez que a criança sofre com o problema desde a infância, as chances de manter esse padrão ao longo dos anos são enormes. Se fizermos as contas, isso representa que ela passará muito mais tempo da vida sofrendo com as consequências da doença. Com tudo isso, quando as crianças se tornarem adultos poderão ter seus anos de vida encurtados.

Outra realidade chocante é que os números da obesidade infantil são crescentes no nosso país. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 1989 apenas 15% das crianças no Brasil tinha obesidade. Em 2009, 20 anos depois, esse número mais do que duplicou, subindo para 33%.

A boa notícia é que na maior parte dos casos a obesidade infantil pode ser evitada e também corrigida! A principal causa da obesidade infantil atualmente são os maus hábitos, tanto alimentares quanto o sedentarismo. Isso mesmo, aquelas horas a fio em frente ao videogame só pioram o problema!

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Por isso mesmo, convidamos você para participar do Programa Combata a Obesidade Infantil, elaborado em parceria com a endocrinologista Maria Edna de Melo, da Associação Brasileira para Estudo da Obesidade e Síndrome Metabólica (Abeso), o pediatra Sylvio Renan Monteiro de Barros, da Sociedade Brasileira de Pediatria, e a nutricionista Helen Lopes, do Hospital das Clínicas (SP).

O programa educativo é gratuito e consiste em doze semanas com informações e atividades que vão ajudar você e sua família a mudarem os hábitos que favorecem a obesidade infantil. Não é preciso ter um filho com obesidade para participar, pois o intuito do programa é não só combater como também evitar o problema. Afinal é melhor prevenir do que remediar.

Para participar do Programa de Combate à Obesidade Infantil: cadastre-se aqui.