6 maneiras de prevenir as rachaduras nos mamilos

Comuns durante a amamentação, fissuras mamilares podem ser prevenidas com algumas mudanças simples

ARTIGO DE ESPECIALISTA - PUBLICADO EM 28/08/2018

Dra. Andressa Bortolasso
Odontologia - CRO 68734/SP
especialista minha vida

Dor na amamentação, bico rachado e sangrando não é nem de longe o cenário que você sonhou para sua amamentação quando ainda estava esperando um bebê.

PUBLICIDADE

Um dos maiores problemas que as mães enfrentam na amamentação, especialmente nos primeiros dias com o bebê em casa, são as fissuras mamilares, mais conhecidas como rachaduras nos mamilos.

Elas costumam ser bem dolorosas ao ponto até mesmo de levar muitas mães a desistirem de amamentar. Por isso, conforme cito na obra Sintonia de Mãe, publicada pela Luz da Serra Editora, é necessário conhecer todo o universo deste ato tão benéfico para a mãe e o bebê.

Muita gente acredita que para amamentar é preciso insistir, passar dor até o peito calejar. Costumamos ouvir que o início da amamentação é mesmo doloroso e que é preciso superar. Mas isso é um engano!

E é exatamente ao contrário. Dor é um sinal de que algo está errado com a amamentação e é preciso corrigir, não simplesmente aguentar. Na grande maioria das vezes as fissuras não se resolvem sozinhas, porque é preciso entender e corrigir o que causou as fissuras. Além disso, a boca do bebê realizando atrito na mama do dia todo dificulta muito o processo de cicatrização. A boa notícia é que existem formas de prevenção e é sobre isso que vamos falar hoje.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Afinal, o que são fissuras?

As fissuras são lesões no tecido mamilar causadas pela pressão negativa realizada pela sucção do bebê durante a mamada. A região pode ficar avermelhada, sensível e até mesmo abrir rachaduras acompanhadas ou não de sangramentos.

As causas normalmente são pelo mau posicionamento, especialmente da cabeça do bebê em relação à mama da mãe e a pega incorreta.

Mas também podem ocorrer por outras causas como a dificuldade de pega do bebê em mamilos curtos, planos ou invertidos, frênulo lingual curto (linguinha presa), uso de bicos intermediários de silicone e uso de óleos, cremes e sabonetes na mama (que deixam a pele mais fina e sensível).

As fissuras representam um grande sofrimento para as mamães. Por isso, toda mãe que deseja amamentar precisa estar informada de como fazer a pega correta. Somos nós, mães, que temos a missão de ensinar tudo para nossos filhos, inclusive a mamar! Mas para isso, precisamos primeiro aprender como conduzi-lo. Como vamos ensinar algo que não sabemos?

Atuando na causa das rachaduras

Não é necessário você ser uma especialista para isso, fique tranquila! Mas é fundamental sabermos o básico, como conduzir a mamada desde a primeira pega.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

De nada adianta sermos fortes e aguentarmos a dor, porque só estaremos empurrando o problema com a barriga e chegará um momento que ficará insustentável aguentar. A tendência é piorar cada vez mais se não atuarmos na causa.

Quase todos os bebês não nascem pegando na mama perfeitamente, nós precisamos auxiliá-los. O bebê quando não pega adequadamente, além de machucar a mamãe, também não consegue extrair leite suficiente para seu sustento. E nesse momento, muitas famílias recorrem ao uso de mamadeiras com leites artificiais. Mas, mais uma vez, não estamos atuando na causa do problema.

Evitando as fissuras

Para evitar tudo isso, aqui estão seis coisas que você pode fazer para evitar as fissuras:

1 - Fique atenta à pega do bebê na mama

O bebê deve fazer boca de peixinho, com os lábios virados para fora. Sua boquinha deve estar bem aberta e abocanhar quase toda a aréola da mãe. O queixinho deve estar encostado na mama

2 - Evite lavar as mamas com frequência

Lavando, você pode tirar a proteção natural. Além disso, devemos manter a mama o mais seca possível.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

3 - Não use cremes e óleos no mamilo

Cuidado com as pomadas, mesmo a de lanolina pura! Ela costuma dar um certo alívio na dor, porém a pele fica mais úmida o que não favorece a cicatrização. Além disso, o excesso de pomada pode atrapalhar a pega do bebê. Se for usar, use em mínima quantidade somente no local afetado, evite de lambuzar toda a mama com a pomada.

4 - Realize uma ordenha antes de toda mamada

Dessa forma a aréola fica mais flexível e mais fácil para o bebê fazer a pega

5 - Não utilize conchas e intermediário

Eles também abafam e deixam a pele úmida dificultando a cicatrização e favorecendo a proliferação de microrganismos.

6 - Cuidado ao finalizar a mamada.

Ao retirar o bebê da mama, utilize seu dedinho no cantinho da boca do bebê para eliminar a pressão negativa e só então retirar a boca do bebê da mama