Estrias na gravidez: como evitá-las e tratá-las após o parto

Marcas aparecem na barriga e nos seios devido ao crescimento do bebê e estiramento da pele

POR LARA DEUS - PUBLICADO EM 19/09/2019

Olhar no espelho e ver um barrigão carregando o tão esperado bebê é uma cena que pode fazer uma mulher se sentir linda. Os cabelos mais fortes e os seios maiores também são transformações positivas que a gestação traz ao corpo. No entanto, muitas futuras mães temem as estrias na gravidez, que podem aparecer por causa das mudanças no corpo.

PUBLICIDADE

Não é toda mulher que realmente tem estrias na gravidez. Porém, as marcas aparecem em até 90% das gestações, segundo Karina Tafner, ginecologista, obstetra e especialista em endocrinologia ginecológica.

"As estrias se desenvolvem quando há um estiramento excessivo da pele. Se houver um repentino estiramento ou alongamento das fibras de colágeno e elastina, elas se rompem e enfraquecem a estrutura da pele. Na gestação, estão associadas à modificação hormonal, aumento excessivo de peso e crescimento da barriga", detalha a médica.

No entanto, há fatores que tornam algumas mulheres mais suscetíveis do que outras. Eles são os seguintes:

  • Predisposição genética
  • Ganho excessivo de peso
  • Gestações múltiplas (de gêmeos ou mais)
  • Idade avançada da mulher (quanto maior a idade, menor a concentração de colágeno no organismo)
  • Alimentação gordurosa e com baixo valor nutritivo
NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Como evitar estrias na gravidez

Embora sejam muito variáveis, estes fatores mostram que há formas de tentar evitar que apareçam as estrias na gravidez.

"Uma pele devidamente hidratada com ativos emolientes e umectantes irá responder de forma mais favorável ao estiramento cutâneo", explica Ana Rosa Magaldi, dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Por isso, é necessário dar atenção à hidratação das áreas que podem crescer muito (barriga, seios e coxas) logo que a gravidez é descoberta. A intensificação deve acontecer por volta dos quatro meses, quando a pele começa a se esticar de forma mais abrupta.

  • Óleo de amêndoas
  • Óleo de rosa mosqueta
  • Óleo de semente de uva
  • Bio-Oil

Eles também podem contribuir para evitar manchas.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

A especialista ainda recomenda drenagem linfática, tratamento que evita o acúmulo de líquidos nos tecidos do corpo. Isso pode ser uma forma de diminuir o impacto do estiramento da pele.

Exercícios físicos, boa hidratação e alimentação saudável também contribuem para evitar o ganho de peso excessivo nessa fase, e podem ser bons aliados para evitar estrias na gravidez.

Nas refeições, a grávida pode priorizar alimentos que tenham as vitaminas C, por estimular o colágeno da pele, e E, por suas propriedades antioxidantes e antienvelhecimento. Alguns exemplos são:

  • Frutas cítricas
  • Cereais integrais
  • Óleos vegetais
  • Sementes

As estrias já apareceram. E agora?

"Nenhum creme irá reverter uma estria já formada", afirma a dermatologista Ana Rosa Magaldi. No entanto, após o parto, existem tratamentos que podem melhorar a aparência da pele. Ela cita três:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Tudo vai depender do aspecto e do local das estrias. Por isso, durante o puerpério, é importante se consultar com um dermatologista para que ele possa indicar o que é mais adequado.

Referências

  • Ana Rosa Magaldi, dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica
  • Karina Tafner, ginecologista e obstetra, médica assistente do ambulatório de reprodução assistida da Santa Casa (FCMSCSP), especialista em endocrinologia ginecológica e reprodução humana pela Santa Casa, especialista em reprodução assistida pela FEBRASGO

Transformações da gravidez

Tudo que acontece na gravidez

Como cuidar da hemorroida na gravidez

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Tratamentos para pressão alta na gravidez