Bebê com intestino preguiçoso: como identificar

Nos primeiros meses, é normal que o bebê sinta algumas dificuldades para evacuar

ARTIGO DE ESPECIALISTA - PUBLICADO EM 19/03/2020

Dra. Isis Dulce Pezzuol
Pediatria - CRM 39546/SP
especialista minha vida
Por Kaspars Grinvalds/Shutterstock
Por Kaspars Grinvalds/Shutterstock

O bebê não nasce pronto. Dentre todos os mamíferos o humano é o menos adaptado ao meio externo ao nascer. Precisa de cuidados e não sobrevive sem atenção. O bebê está em constante aprimoramento de funções vitais, como digestão e respiração.

PUBLICIDADE

O nascimento acontece quando o bebê está pronto ou quando o ambiente intra-uterino é desfavorável, não adequado por patologia ou por falta de espaço. Existe um momento em que o espaço fica muito reduzido, apertadinho, e então o nascimento ocorre.

A passagem do bebê pelo canal de parto, parto normal ou parto cesariana, define o tipo de flora intestinal que o bebê vai ter. Essa contaminação que o bebê sofre ao nascer colabora e muito na maturação.

O recém-nascido vem com algumas "programações". Por exemplo, dentro do útero ele não pode evacuar, o que significaria risco de morte. A eliminação de mecônio intra-útero sempre é um quadro de risco.

Então, ao nascer, esperamos que ele acabe de eliminar o mecônio (muco, restos celulares) e tenha uma função intestinal sem sofrimento. Tem de aprender, não sabe.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Como saber se o bebê quer fazer cocô

Ao sentir vontade de evacuar é comum o bebê se espremer, ficar vermelho e chorar. Verdadeiramente ele sofre e esta dificuldade ocorre mesmo com fezes amolecidas.

Esse quadro é chamado disquesia. Esse processo pode levar até 20 minutos, não é doença e não tem tratamento específico. Para evacuar precisa haver sincronismo entre a vontade de evacuar, o relaxamento da musculatura pélvica e a abertura do esfíncter anal. Com o treino ele aprende a evacuar sem sofrer.

O melhor tratamento é nossa atenção, colinho e carinho, não necessita tratamento medicamentoso na maioria das vezes. O uso de laxantes não é necessário.

Como saber se seu filho está constipado

A obstipação e a constipação intestinal indicam defecação insatisfatória. Um comitê de especialistas internacionais reuniu-se em Roma, criando um documento, um guia para definição, chamado critério de Roma II. Estabeleceram-se então critérios:

  • Três evacuações por semana
  • Esforço ao evacuar
  • Sensação de evacuação incompleta
  • Fezes endurecidas ou fragmentadas

São consideradas obstipadas quando ocorrerem pelo menos dois desses critérios.

Amamentação e intestino do bebê

Mesmo o leite materno não é um alimento estéril. O estudo da microbiota mostra-se atualmente de extrema importância para o bom crescimento e desenvolvimento. Existe comunicação ativa com muita troca de informação entre cérebro e intestino, e hoje já temos 2 800 espécies classificadas.

A importância e insistência em leite materno exclusivo por 6 meses, alimentação complementar saudável, sem uso de ultraprocessados, visa manter a integridade desse complexo sistema digestório.

A OMS orienta e recomenda para os bebês leite materno exclusivo em livre demanda até o sexto mês de vida e complementado até dois anos ou mais. Desta forma, o bebê evacua fezes amolecidas, amareladas, por vezes explosivas, por conta da alimentação láctea exclusiva, todas as mamadas ou a cada sete dias. Faz parte do processo de maturação e é normal.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Água de ameixa para prisão de ventre infantil

A ameixa preta tem como propriedades alto teor em fibras e nutrientes que facilitam o funcionamento intestinal. A propriedade laxativa vem principalmente da casca e da polpa. Tem também o sorbitol, açúcar que estimula o intestino, fazendo com que este funcione com mais facilidade.

Mas não deverá ser usado para os bebês, principalmente se estão em aleitamento exclusivo. Para bebês já com alimentação complementar, antes de pensar em alimentos laxativos, a observação cuidadosa da dieta e sua composição é fundamental.