1ª semana do bebê: adaptação ao mundo externo

Seu bebê está se adaptando à vida fora do útero; saiba como ajudá-lo nesse processo

POR HELOISA FREITAS - PUBLICADO EM 20/03/2020

Os primeiros dias do bebê fora do útero são cheios de novidades, tanto para o bebê quanto para a mãe. Seu bebê está se adaptando a um novo ambiente e o excesso de luz e barulho, podem incomodá-lo. Aos poucos ele estará habituado com o mundo exterior, mas é importante respeitar o processo.

PUBLICIDADE

Você pode notar que seu bebê leva alguns sustos, que até podem fazer com que ele comece a chorar. Na verdade, esses sustos são conhecidos como Reflexo de Moro e podem ocorrer até de hora em hora. De acordo com os pediatras consultados, esse é um reflexo neurológico primitivo que desaparecerá em torno de 3 meses.

Para amenizar esses reflexos e até preveni-los para que o bebê não chore, os especialistas indicam que vale tentar enrolar o bebê em um cueiro, como se fosse um casulo. Dessa forma, ele se sentirá mais seguro, principalmente na hora de dormir. Porém, o seu bebê deve ser colocado sempre de barriga para cima.

É normal o bebê ficar resfriado?

Alguns recém nascidos apresentam a respiração levemente ruidosa, isso porque suas vias aéreas ainda são pequenas e precisam lidar com o fluxo de ar passando.

Esse ruído pode ser confundido com congestão nasal, levando-nos a pensar que o bebê pode estar resfriado. A limpeza nasal é uma recomendação médica para dar mais conforto ao bebê, principalmente antes das mamadas.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Além disso, isso facilitará a sua percepção sobre o bebê estar ou não resfriado, devendo considerar que o recém-nascido deve estar protegido de contrair alguma doença respiratória.

Dessa forma, o controle de visitas nas primeiras semanas é recomendado, principalmente se estas estiverem doentes. Quando for receber visitas, as medidas de higienização são fundamentais para preservar a boa saúde do seu bebê, por isso não tenha vergonha de pedir que as visitas a sigam corretamente.

O significado de cada choro

Lembre-se que nos primeiros meses a principal comunicação externa do bebê será o choro. Essa é a maneira dele sinalizar o que precisa, e pode ter vários motivos como fome, sono, calor, frio, dor, querer carinho. Os pediatras dão algumas dicas para você reconhecer as necessidades do seu bebê através do choro. Confira:

  • Fome: o choro da fome costuma ser em curtas durações, rápido e com tom mais intenso. Ao alimentá-lo, ele se tranquilizará.
  • Dor: o choro de dor tende a ser mais intenso, comprido e sentido. Geralmente associado à extensão dos membros e irritabilidade, que se mantém mesmo oferecendo o leite ou até mesmo trocando a fralda e suas roupas.
  • Sono: esse choro é mais sentido que os demais e conforme vai uma rotina com horários de sono mais estabelecidos vai sendo criada, os pais passam diferenciar melhor esse tipo de choro.

Se na sua percepção o seu bebê está chorando o tempo todo e sem um motivo aparente, a recomendação é que ele seja levado para uma avaliação com um profissional especializado.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

O processo de amamentação

Os médicos explicam que, apesar do seu bebê já ter um reflexo de sucção, o processo de amamentação é evolutivo e adaptativo. Ou seja, inicialmente seu bebê pode sentir algumas dificuldades para mamar.

A anatomia do seio, a pega e a posição podem estar relacionadas a dificuldade do bebê. Tudo isso pode ser orientado e corrigido de acordo com os pediatras, lembrando que o próprio estímulo em colocar o bebê para mamar ajudará no processo de adaptação com sucesso. Seja paciente, com o tempo tudo se tornará mais fácil.

Fontes consultadas

Mariana Caramelo Jordão - pediatra
Flauber Filho - coordenador médico pediatria Hospital Hsanp