Peso equilibrado é sinônimo de gravidez sadia

POR REDAÇÃO - PUBLICADO EM 24/04/2006

Manter-se em forma durante a gravidez é uma inquietação recorrente na vida das futuras mamães. Apesar disso, há muitas mulheres que não se preocupam em controlar o peso no período pré-natal. Se de um lado, tentar evitar o aumento de peso a todo custo pode ser prejudicial, comer descontroladamente também gera uma série de riscos para a gestante e para a criança. A médica endocrinologista do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, Cíntia Cercato, afirma que o aumento de peso ideal na gestação está diretamente ligado à forma da mulher antes da constatação da gravidez. "O indicado para mulheres com peso normal é adquirir de 11,5 a 16 Kg. Já mulheres que iniciam a gravidez com sobrepeso podem ganhar de 7 a 11,5Kg. Mulheres obesas, por sua vez, não devem ultrapassar o limite de ganho de, no máximo, 7 kg durante a gravidez", explica.

A atenção com a balança não é meramente estética. De acordo com Cíntia, o excesso de peso influi diretamente na saúde da mãe e do bebê. Gestantes que engordam muito têm mais chances de ter uma infecção urinária, pressão alta, diabetes, entre outros problemas que podem ocasionar, inclusive, complicações no parto. "Além disso, o ganho do peso fetal é proporcional ao ganho do peso materno. Mães acima do peso normal podem ter bebês muito grandes ? um caso que é denominado macrossomia. O fato de o feto crescer em demasia viabiliza o aumento da taxa de açúcar no sangue e estimula o pâncreas a produzir muita insulina. Isso faz com que a criança tenha mais probabilidades de apresentar hipoglicemia. Bebês que nascem muito grandes também têm mais riscos de desenvolver obesidade na infância", destaca a endocrinologista. Apesar de os problemas com o aumento de peso serem inúmeros, Cíntia faz um alerta para mães que não se alimentam adequadamente com medo de engordar. "Uma dieta extremamente restrita também faz mal. Ganhar pouco peso potencializa o risco de crianças com baixo peso ao nascer, o que aumenta a morbi-mortalidade infantil", ressalta. O ideal para uma mãe que quer aliar o físico bonito a um estado de saúde equilibrado? A receita é simples: ter a indicação de um especialista. "Após o parto, a mãe deve manter uma dieta adequada, para permitir uma perda de peso lenta e progressiva sem afetar a lactação. Em geral, recomenda-se um aporte adicional de 500 calorias/dia durante a amamentação e que a mulher perca cerca de 0,5 kg por semana, no máximo, para não prejudicar a produção do leite", completa Cíntia. Por: Camila Conte









PUBLICIDADE