Enjoos na gravidez podem levar a distúrbios comportamentais nos filhos

Distúrbio comum em grávidas aumenta chances de transtorno bipolar e depressão

POR REDAÇÃO - PUBLICADO EM 24/08/2011

Uma forma extrema de enjoos e vômitos relacionados à gravidez, conhecido como hiperemese gravídica (HG), representa um peso para milhares de grávidas. Um estudo realizado pela University of California in Los Angeles (UCLA) e pela University of Southern California, ambas nos Estados Unidos, descobriram que as gestantes não são as únicas vítimas. Crianças cujas mães sofreram de HG são 3,6 vezes mais propensas a apresentarem ansiedade, transtorno bipolar e depressão na idade adulta, quando comparadas a filhos de mãe que não passaram pelo enjoo extremo.

As descobertas, publicadas no Journal of Developmental Origins of Health and Disease, foram baseadas nos relatos de mulheres com HG, que relataram o histórico emocional e comportamental de seus irmãos. O fato de essas participantes terem HG significa que suas mães provavelmente também apresentaram quando ficaram grávidas - as chances de uma mulher apresentar esse mal quando sua mãe também o apresentou é de 17 vezes a mais do que aquelas cujas mães não tiveram -, o que poderia expor os irmãos aos distúrbios estudados na pesquisa.

Do total de 150 mulheres que responderam, 55 tiveram mães que também sofreram dessa condição e, por isso, os seus irmãos também foram expostos à HG no útero. Já 95 tiveram mães que não passaram pela HG e, por isso, seus irmãos não foram expostos ao mal. Houve um total de 87 irmãos do grupo exposto (o grupo de "casos") e 172 do grupo não exposto (o grupo "controle").

Os pesquisadores descobriram que 16% dos irmãos do grupo exposto tiveram depressão, comparados a 3% do grupo não exposto; 8% do primeiro grupo foram diagnosticados com transtorno bipolar, comparados a 2% do segundo grupo; e 7% do grupo exposto à HG sofreram de ansiedade em idade adulta, contra 2% do grupo controle.

Segundo os estudiosos, estas taxas mais elevadas podem ser causadas pela desnutrição e desidratação prolongada das mães durante o desenvolvimento do cérebro fetal. A ansiedade e o estresse, que são comuns durante e após a gravidez com HG, também podem desempenhar um papel no quadro.

Estudos anteriores descobriram que filhos de mães que experimentaram náuseas persistentes durante o primeiro trimestre de gravidez têm mais problemas de atenção e aprendizagem por volta dos 12 anos. Outros estudos também descobriram que fetos mal nutridos, um resultado frequente da HG, têm saúde mais frágil em idade adulta.

PUBLICIDADE

O enjoo matinal pode ser hereditário

Outra pesquisa, da Universidade da Flórida (EUA), publicada pelo British Medical Journal comprova que o enjôo sentido pela mãe durante gravidez pode ser transmitido à filha quando está estiver esperando um bebê.

Segundo a pesquisa, realizada com 500 mil pares de mães e filhas, cerca de 30% das filhas sofreram com os mesmos sintomas observados em suas mães durante a gestação.

Cerca de 45% das voluntárias apresentaram enjoo semelhante, mas não com a mesma intensidade e apenas 25% delas não manifestaram nenhum problema.

Os pesquisadores explicam que isso acontece porque a carga genética que caracteriza a fragilidade a determinadas substâncias na gravidez provocando o enjoo é transmitida de mãe para filha e por isso, as chances dos sintomas se repetirem é de até 70%.

Para os pesquisadores, tais resultados sinalizam um avanço nos estudos sobre transmissão genética que se manifestam através de sintomas, mas são necessários novos estudos para entender melhor esta relação.

As causas do enjoo

Os enjoos atacam, em média, 80% das gestantes e ocorrem basicamente devido à inexistência da placenta, que começa a ser formada só a partir da 12ª semana de gestação - não à toa, o momento em que o sintoma normalmente desaparece. O inverso também acontece, ou seja, embrulhos no estômago provocados pelo excesso de placenta - como na gravidez de gêmeos ou de fetos com mais de quatro quilos. O bebê, muito grande, pressiona o tubo gástrico e o estômago, atrapalhando o funcionamento do sistema digestivo, daí o desconforto.