Jejum na gravidez causa até baixo peso no feto

As chances de desmaio da mãe também aumentam e até o líquido amniótico pode ser afetado

POR BRUNA STUPPIELLO - PUBLICADO EM 05/05/2016

Esclareça suas dúvidas sobre o jejum na gravidez - Foto: Reprodução Instagram
Esclareça suas dúvidas sobre o jejum na gravidez - Foto: Reprodução Instagram

A atriz Deborah Secco fez uma declaração polêmica em entrevista à Revista Glamour. Na reportagem ela contou que fez uma dieta controversa. "Chama-se jejum intermitente, uma dieta low carb e high fat. Foi prescrita pela minha nutricionista, a Fernanda Muller, quando eu estava com seis meses de gravidez", disse Deborah à Glamour.

PUBLICIDADE

A atriz foi muito criticada já que sua declaração deu a entender que ela havia realizado jejum durante a gravidez. Até mesmo a ex-apresentadora Luisa Mell se manifestou sobre o caso. "Evidente, que em um país como o nosso muitas vezes as celebridades são mais ouvidas do que médicos. Não há dúvidas que Deborah, por ser linda e famosa influenciará muitas grávidas e mamães com suas declarações imprudentes. Pelo amor de Deus, jejum na gravidez?! A alimentação correta da gestante é fundamental para o desenvolvimento da criança!", disse Luisa.

Diante de toda esta polêmica, Deborah e sua nutricionista Fernanda Muller se pronunciaram. Deborah explicou que não realizou jejum durante a gestação. "Essa dieta foi feita depois que Maria nasceu. Tudo o que eu faço é com acompanhamento médico, principalmente tudo o que eu fiz durante a gravidez", disse a atriz em entrevista ao Portal Ego.

Fernanda Muller deu mais alguns detalhes sobre como o jejum foi realizado. "Ela não fez nenhum jejum durante a gravidez. A gente fez, sim, jejum intermitente (feito em um intervalo grande de tempo), mas foi um mês depois do parto, quando ela já não estava podendo mais amamentar. E, nessa época, ela chegou a comer de 23 em 23 horas, só que foi em um período curto que a gente fez antes de uma sessão de fotos", contou a nutricionista em seu Snapchat.

Riscos do jejum na gestação

Apesar da história de Deborah ter sido esclarecida, é importante ressaltar quais os riscos do jejum na gestação. "O jejum prolongado e frequente não é aconselhável porque as necessidades do bebê são constantes. Fazendo jejum, a mãe deixa de ter substrato de qualidade para o feto, fazendo com que a mãe tenha que fazer uso de outros metabolismos para suprir o bebê, metabolismos estes sem a qualidade ideal para o pequeno", explica o ginecologista obstetra Carlos Dale, da Clínica Dale.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

O jejum realizado com frequência na gravidez pode ocasionar desmaios e problemas ainda mais graves. "A grávida pode ter hipoglicemia, há o risco de a mãe ter menos líquido amniótico e do bebê ficar com baixo peso. O bebê pode até mesmo correr risco de vida", alerta o ginecologista obstetra Alfonso Massaguer, especialista em reprodução humana e diretor da Clínica Mãe.

Realizar o jejum na gestação mesmo que uma única vez também não é orientado. "Isso jamais deve ser incentivado para as grávidas. Elas precisam comer de 2 em 2 ou de 3 em 3 horas. O risco de desmaio também existe mesmo quando ela faz jejum somente uma vez", observa Alfonso Massaguer.

Comer com frequência na gestação é algo tão importante que ficar mais de quatro horas sem se alimentar na gravidez já não é bom. "Trata-se de um período prolongado e por isso não é orientado", destaca Alfonso Massaguer.

Na realidade, fazer jejum é algo muito preocupante para as gestantes, mas também não é orientado para pessoas que não estão grávidas. "Não é bom para ninguém, o risco de desmaios em decorrência do jejum existe para todos", conclui Alfonso Mssaguer.