Pilates trabalha a força, a resistência, a flexibilidade e o equilíbrio

Exercícios comuns e acessórios fazem parte do treino

POR REDAÇÃO - PUBLICADO EM 30/10/2009

O método Pilates ? ou Contrologia, como também é chamado - pode ser descrito de duas formas. A primeira o caracteriza como uma técnica de movimento ou de exercício, cujo objetivo é melhorar a saúde. A segunda permite evidenciar a técnica como uma terapia que busca beneficiar as funções orgânicas.

Toda a metodologia está associada ao trabalho das capacidades físicas (força, resistência, flexibilidade e equilíbrio), utiliza exercícios comuns na ginástica, na dança, na ioga, nas artes marciais e faz o uso de acessórios, como bancos especiais, bolas, faixas e outros equipamentos desenvolvidos com exclusividade para esta prática. No Pilates, toda a sobrecarga externa imposta ao corpo do aluno é obtida pelo auxílio de molas, diferente dos aparelhos clássicos da musculação, em que esta sobrecarga se dá, principalmente, por barras de ferro.

Trata-se de um programa de exercícios sistematizados, no qual a sua função primordial é estimular o controle que o sistema nervoso desempenha sobre os músculos estriados esqueléticos. Seja como técnica ou terapia, o Pilates promove um maior relacionamento entre o físico e a mente, aperfeiçoando a harmonia entre todas as estruturas do corpo humano dos praticantes, que podem ser indivíduos de diferentes idades, já que não há restrições para a sua prática. O Pilates pode ser realizado por adultos, idosos, gestantes e, em certos casos, também por crianças, desde que não haja restrições médicas.

PUBLICIDADE

Quando o método é utilizado para o desenvolvimento da aptidão física, as principais respostas fisiológicas são a melhoria das funções circulatórias e respiratórias, o desenvolvimento da força, a elasticidade e a mobilidade articular do tronco e dos membros. Sendo que a somatória destas respostas contribui também para a diminuição da tensão, da fadiga e do estresse, melhorando o estado geral de saúde do praticante, auxiliando no combate da obesidade e na obtenção de um corpo dentro dos padrões estéticos atuais - com baixa porcentagem de gordura corporal e discreta hipertrofia muscular, evidenciando a beleza física.

O Pilates também pode ser usado com a finalidade de otimizar o desempenho esportivo em diferentes modalidades, como a dança, o boxe, entre outras. É evidente que este método é uma boa alternativa para aqueles que buscam abandonar hábitos sedentários e experimentar os benefícios de uma vida ativa. Mas, qual a frequência ideal para se exercitar? Ao final da primeira sessão já se espera que o praticante experimente uma boa dose de bem-estar. Porém, na literatura científica, grande parte dos trabalhos que investigam os efeitos do método apresenta resultados após, aproximadamente, 15 sessões ou quatro semanas (com atividades de aproximadamente 50 minutos, duas a cinco vezes por semana).

Seja qual for a prática, os exercícios sempre propiciam melhorias ao corpo. Mas é conveniente salientar que a escolha por métodos criteriosamente sistematizados e orientados por profissionais qualificados, como é caso do Pilates, geram resultados melhores e mais rápidos, sem expor o praticante a riscos. No mercado há ótimos profissionais de Educação Física, Fisioterapeutas e Terapeutas Ocupacionais, entretanto, é sempre bom buscar informações e verificar se estão devidamente credenciados em seus órgãos de classe - CREFE e CREFITO. Se a escolha for pelo Pilates, os professores também devem ser certificados pelo The Pilates Studio® Brasil.

Prof. Mateus Elias Pacheco, mestre em Ciências Morfofuncionais e professor do curso de Educação Física da Universidade Nove de Julho (UNINOVE).