Pé chato ou pé cavo: tipo de pisada pode interferir na saúde

Saiba como identificar seu tipo de pé com uma dica simples e evitar lesões

ARTIGO DE ESPECIALISTA - PUBLICADO EM 15/05/2019

Dr. Thiago Righetto
Ortopedia e Traumatologia - CRM 125.722/SP
especialista minha vida
Saiba identificar seu formato de pé - Imagem: Shutterstock/Minha Vida
Saiba identificar seu formato de pé

Seu pé é chato ou cavo? Essas variações anatômicas podem ser identificadas a olho nu e complementadas pelo exame físico. Existem dois tipos comuns de pé (pé plano/chato e pé cavo), mas também é importante identificar o formato do pé, que pode ser grego, egípcio ou quadrado.

PUBLICIDADE

Mas o que isso muda no nosso dia a dia? "Preciso me preocupar com estas diferenças?". Sim! Porque cada forma de pisada e tipo de pé sofrem sobrecarga em locais diferentes e isso pode ocasionar doenças diferentes. Estar ciente de qual é o seu o ajudará na hora de escolher o melhor calçado, bem como poderá melhorar o seu rendimento nos esportes.

Como identificar seu tipo de pisada

Para ter um diagnóstico real do formato do seu arco plantar e da sobrecarga que ele é submetido, a baropodometria é o exame mais indicado, pois avalia o estilo de pisada.

Porém, vou dar uma dica simples que o ajudará a começar a entender o formato do seu pé, ajudando-o a fazer escolhas mais assertivas.

Verifique qual é seu tipo de pisada com esta dica fácil - Foto: Shutterstock/Minha Vida
Verifique qual é seu tipo de pisada com esta dica fácil
  • Molhe a sola do pé e pise em um pedaço de papelão ou mesmo no chão, ao lado de uma piscina, por exemplo
  • Se o seu pé for cavo, a parte média do pé possuirá uma curva, um estreitamento
  • No pé plano (pé chato), a largura da forma no papel é praticamente a mesmo
NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Evite lesões entendendo seu pé

Entre as principais lesões causadas pelo uso inadequado dos calçados estão:

  • Calosidade nas bordas dos dedos: principalmente em pés quadrados ou mais largos
  • Metatarsalgias: em pé grego, principalmente se tiver um cavo associado
  • Fascite plantar: mais comuns em pés cavos pela facilidade da fáscia encurtar devido ao formato arqueado do pé, aumentando também a incidência de metatarsalgia
  • Tendinose do Aquiles e do tibial posterior: frequentes em pé plano (chato) e, mesmo mantendo a fáscia mais alongada pelo formato do arco, alguns casos também podem apresentar fascite

Tênis para corrigir pisada: mito ou verdade?

Infelizmente ainda não existem estudos com uma boa metodologia que justifique o uso de tênis para correção de pisada.

O melhor calçado

Para os pés mais finos, não é tão difícil escolher o melhor calçado, já que ele precisará ter esse mesmo formato. Já o pé quadrado pode apresentar forte incômodo se o formato do calçado não tiver a ponta mais larga - um grande problema para as mulheres e os tão cobiçados sapatos de bico fino.

Para corrida e esportes com saltos:

Alguns estudos biomecânicos mostram que durante uma corrida ou na prática de exercícios que envolvem saltos, o nosso pé se movimenta dentro do tênis, perdendo um pouco a sua função na correção da pisada. Por isso, investir em um tênis de pisada neutra é sempre a melhor opção.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Além disso, o melhor tipo de tênis é aquele em que o atleta se sente mais confortável, por isso sempre oriento que as pessoas percam tempo nesta compra, testando bem o tênis. Nem sempre o mais caro ou os "da moda" são os que se adaptam melhor ao pé.

Dicas essenciais

Período de adaptação:

Outra dica importante é lembrar que o pé precisa de uns 2 a 3 meses para se adaptar ao calçado. Então, nesse período, ele pode causar dor e por isso é interessante revezar o tênis novo com um mais antigo.

Fortalecimento do pé:

Vale lembrar que a maioria das doenças, principalmente durante a prática de exercícios físicos, ocorrem por sobrecarga das articulações, músculos e tendões. Portanto, melhoram com a reabilitação. A corrida sobrecarrega mais os pés e os tornozelos do que o restante do corpo, uma vez que a musculatura da perna chega a suportar três vezes o peso do corpo durante esse tipo de atividade.

Portanto, o atleta deve dar ênfase ao fortalecimento não só da panturrilha, mas também da musculatura do pé, inversores e eversores do tornozelo, além do tibial anterior e também manter um bom alongamento e fortalecimento geral desde a coluna até o tornozelo.

Respeite seus limites:

Respeitar a dor é sempre importante! Por isso, oriento as pessoas a cessarem a atividade física durante a dor intensa ou persistente. E sempre procurar um médico do esporte antes do início de qualquer atividade física ou quando encontrar qualquer dificuldade em sua realização.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Ah, e sempre que pensar em deixar o sedentarismo de lado, conte comigo! Um abraço!