Filho de Cafu infarta e morre ao jogar bola; veja riscos

Primogênito do pentacampeão de futebol Cafu é vítima de ataque cardíaco; veja sinais da doença que podem evitar a morte

POR TATIANE GONSALES - PUBLICADO EM 05/09/2019

O pentacampeão de futebol brasileiro Cafu está de luto. Seu filho mais velho, Danilo Feliciano de Moraes, morreu nesta última quarta-feira (4) vítima de infarto após jogar bola.

PUBLICIDADE

Com 30 anos, Danilo disputava uma partida de futebol com o pai e os amigos quando começou a passar mal. Após 10 minutos de jogo, caiu ao chão e foi socorrido pelo pai e colegas.

Cafu (segundo da esquerda para direita) entre os filhos Wellington, Michelle e Danilo, respectivamente - Foto: Reprodução/Instagram
Cafu (segundo da esquerda para direita) entre os filhos Wellington, Michelle e Danilo, respectivamente

Ele chegou a ser levado ao Hospital Albert Einstein, mas não resistiu. A assessoria de imprensa do ex-jogador Cafu agradece o apoio recebido pelos fãs e pede compreensão ao momento de luto.

Problemas cardíacos

Há quatro anos, em 2015, Danilo já havia sofrido um infarto durante a mesma situação: enquanto jogava bola com a família e amigos. Ele chegou a ficar em observação no hospital por poucos dias e foi liberado.

As peladas de quarta-feira eram de praxe entre o rapaz e Cafu em Barueri, onde fica localizada a residência de seu pai.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Jogar bola pode causar infarto?

Atletas, sejam amadores ou profissionais, podem sofrer infarto fulminante se não estiverem em dia com exames cardiovasculares.

Cardiologista da Cia da Consulta, Lucy Tiemi Terashima explica que exercícios de alto impacto ligados à falta de cuidado com a saúde potencializam problemas no coração.

"O futebol é um esporte que exige muito do organismo e, por isso, o corpo precisa estar condicionado para suportar essa exigência", afirma.

Quando não temos o condicionamento físico adequado para esta prática e desconhecemos como está a saúde do coração, as chances de infarto aumentam significativamente.

Portanto, realizar avaliações regulares com cardiologista é essencial, além do acompanhamento de educadores físicos durante a prática.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)
Ex-jogador da seleção brasileira, Cafu levanta taça da Copa do Mundo de 2002 - Foto: Reprodução/Facebook
Ex-jogador da seleção brasileira, Cafu levanta taça da Copa do Mundo de 2002

Futebol só uma vez por semana

Segundo a cardiologista, estudos indicam que homens que jogam bola só uma vez por semana e não praticam outra atividade física têm mais riscos de problemas cardíacos.

Em vez de trazer benefícios, este hábito pode ser prejudicial ao coração, pois não há um preparo físico adequado se exercícios são feitos por menos de três dias a cada semana.

Colesterol afeta atletas jovens

Na idade de Danilo, que faleceu aos 30 anos, o infarto é incomum, de acordo com o diretor médico da Cia da Consulta Felipe Folco.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Por outro lado, ele comenta que análises apontam o colesterol ruim como o principal fator de mortes por infarto em atletas jovens.

O alto nível de colesterol ruim normalmente é resultado de uma má-alimentação, com elevado consumo de gorduras, e falta de atividade física regular.

Alertas durante exercícios

Fique atento a sinais que podem indicar que o coração está perigo durante e depois de fazer exercícios físicos:

  • Fadiga excessiva
  • Dor no peito
  • Batimentos cardíacos disparados
  • Falta de ar

Contudo, Felipe ressalta que exercícios são essenciais para uma vida saudável. Porém, devem ser realizados com supervisão profissional e combinados a uma alimentação equilibrada e acompanhamento médico.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

A cardiologista Lucy revela ainda que há casos de jogadores de futebol que tiveram ataques cardíacos e arritmias sem apresentarem qualquer sintoma. Por isso, a regularidade de exames médicos e hábitos saudáveis são fundamentais.

Sintomas de infarto

Aproximadamente 30% das mortes no Brasil são decorrentes de doenças cardiovasculares, sobretudo por infarto (também conhecido como ataque cardíaco ou infarto agudo do miocárdio).

O infarto é caracterizado por coágulos de sangue que obstruem uma ou mais artérias que levam oxigênio ao coração. Assim, todo cuidado é essencial, uma vez que o ataque cardíaco pode levar a óbito.

Apesar de alguns casos serem assintomáticos, existem sinais sutis que podem indicar a possibilidade de um infarto semanas antes dele de fato acontecer, segundo o cardiologista Rogério Marra, do Hospital Samaritano de São Paulo.

Dor no peito

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Este é o sintoma mais clássico e aparece repentinamente. A dor ocorre na região do tórax, podendo se estender para costas, braços, ombros e pescoço.

Náuseas e dores abdominais

Tais sinais são comumente confundidos com uma simples azia ou dor de estômago.

Por isso, é essencial procurar um pronto-socorro e ser atendido por um cardiologista para o correto diagnóstico.

Fraqueza

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

A fraqueza costuma ser associada com fadiga e exaustão do dia a dia. Porém, o especialista ressalta que 20% dos casos de fraqueza estão relacionados a problemas no coração.

Portanto, este sintoma pode ser um alerta de algo mais grave que está por vir, como um infarto.

Falta de ar

As dores no peito podem resultar em dificuldades para respirar, gerando grandes desconfortos. Fique atento!

Suor frio

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

O suor frio, assim como a falta de ar, também está associado às dores no peito. Pode parecer um sintoma simples, mas requer atendimento imediato em pronto-socorro.

Tontura

Semanas antes de sofrer um ataque cardíaco, é possível sentir tonturas. Evite dirigir ao se sentir tonto. Peça ajuda para que alguém te acompanhe até o hospital mais próximo.

Perigos do ataque cardíaco

Descubra as causas e grupos propensos a ter infarto

Veja as principais diferenças entre ataque cardíaco e infarto fulminante

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Confira remédios comuns que elevam riscos de infarto