A história da 1ª personal trainer com paralisia cerebral

A americana Steph Hammerman nasceu com a condição e ainda superou um câncer

POR REDAÇÃO - PUBLICADO EM 07/06/2019

Preguiça, desistência e autossabotagem parecem não fazer parte da vida de Steph Hammerman. Apesar dessas palavras serem constantes como desculpas para não praticar exercícios físicos, Steph não as adota - mesmo tendo limitações para se movimentar. A americana se consagra como a primeira personal trainer com paralisia cerebral do mundo.

PUBLICIDADE

https://www.instagram.com/p/Bvpk4ebATM1/

Presente desde nascença à Steph, a paralisia cerebral é definida por desordens permanentes no desenvolvimento do cérebro, que afetam a postura e o movimento. Isso faz com que passe a maior parte do tempo de cadeira de rodas, mas não que deixe de treinar - mesmo com médicos pensando que ela nunca seria capaz nem de se comunicar ou se mexer.

"A palavra 'deficiência' já leva à conotação de 'algo que você não pode fazer'. E eu realmente acredito que minhas habilidades superam os desafios da minha vida", diz em entrevista à BBC News.

https://www.instagram.com/p/BuxMhJbAnUV/

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

Em 2012, Steph aderiu ao crossfit para ganhar condicionamento físico. Dois anos depois (2014), se tornou a primeira treinadora com paralisia cerebral. "Eu realmente acredito que minhas habilidades superam totalmente os desafios da minha vida", comenta.

Foi diagnosticada com câncer em 2016 e dedicou-se ao tratamento por sete semanas, o que fez a doença sumir. No ano seguinte, se tornou a primeira atleta profissional com paralisia cerebral a ser patrocinada pela marca esportiva Nike.

O sonho de ser treinadora se dá por acreditar que a profissão permite com que ela lide com diferentes pessoas todos os dias. Atualmente, Steph mantém sua própria academia de crossfit e, fazendo um trocadilho com o próprio sobrenome, é conhecida como "The Hammer" ("o martelo", em tradução literal; o nome também faz referência a um filme em que o protagonista é um lutador surdo).

"Se você me vê e fica inspirado a fazer mudanças em sua rotina, então eu fiz meu trabalho: que é fazer diferença na vida das pessoas", afirma a atleta.