OMS quer combater resistência a antibióticos para frear crescimento de doenças infecciosas

Organização Mundial da Saúde pretende montar um plano de ação até 2017

POR REDAÇÃO - ATUALIZADO EM 28/05/2015

A Organização Mundial de Saúde (OMS) aprovou nesta segunda-feira (25) um plano de ação para enfrentar a resistência aos antibióticos. No fim de abril a OMS já havia afirmado que a resistência é o "maior desafio" contra doenças infecciosas.


O plano define cinco objetivos que deverão ser buscados no combate à resistência aos antibióticos. O primeiro ponto destacado pela OMS é a necessidade de desenvolver o conhecimento e a compreensão sobre a resistência antimicrobiana. Depois, a organização defende o reforço da vigilância e da pesquisa sobre o assunto e a redução da incidência de infecções.

Nos últimos dois eixos, a OMS estabelece que a comunidade internacional deverá otimizar o uso de medicamentos antimicrobiais e assegurar um investimento sustentável na luta contra a resistência a antibióticos.

A organização pede que todos os governos dos países membros tenham confeccionado um plano de ação e colocado em vigor até 2017. A OMS irá atuar em conjunto com esses países para elaborar os projetos nacionais que devem abordar o uso de medicamentos antimicrobiais em animais, na agricultura e na saúde humana. Um primeiro balanço do desenvolvimento de mecanismos para alcançar as metas será divulgado em 2017 durante a Assembleia Mundial de Saúde.

Evite nove erros ao tomar antibióticos
Nem todo mundo trata o assunto com a seriedade que ele merece. Qualquer dor de cabeça basta para correr à farmácia e pedir uma caixa daquele remédio que alguém na família tomou - mas isso pode ser um tiro no pé quando o assunto é usar antibióticos, uma vez que eles precisam de prescrição médica rigorosa. Existem várias fórmulas para combater a mesma doença, e só um médico sabe a mais adequada. Confira os erros mais comuns do tratamento com antibióticos, os perigos relacionados e como proceder em situações de surpresa, como o esquecimento de uma dose ou o aparecimento de alergias:

Não fazer o tratamento no tempo determinado

Como todo medicamento, o antibiótico tem um tempo específico de vida em nosso organismo após ser ingerido. Conforme a classe de antibióticos e seu tempo de vida, bem como a doença e condição do paciente, o remédio é prescrito para dez dias, sete dias ou três dias. "Nos casos em que ele deverá ser ingerido por dez ou sete dias, o paciente pode sentir uma melhora dos sintomas logo nas primeiras doses", explica a farmacêutica Patrícia Moriel da Faculdade de Ciências Médicas na Universidade de Campinas (UNICAMP). Imaginando estar já com a doença curada, o paciente pode interromper o uso da medicação, quando na verdade é apenas a carga microbiana que diminui no organismo, sem ser completamente exterminada. "Esses micro-organismos que não foram eliminados podem fazer com que a pessoa volte a ficar doente", afirma a especialista. E não pense que é impossível pecar pelo excesso - fazer o tratamento durar mais do que o recomendado pode sobrecarregar seu organismo e afetar as bactérias que são benéficas ao seu corpo. "É comum esse excesso de antibiótico destruir a microbiota intestinal, causando uma diarreia - mas em alguns casos os efeitos são mais graves e necessitam de internação."

Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.