Evite as crises de asma com esses nove cuidados

Vacinas, vitamina D e teste de alergia garantem pulmões saudáveis

POR MANUELA PAGAN - ATUALIZADO EM 16/11/2016

É só o tempo virar para o peito começa a chiar e faltar o ar. Quem sofre de asma sabe o quão agoniantes esses sintomas podem ser. No Brasil, cerca de 16 milhões de pessoas sofrem com a doença. Marcada por uma forte dificuldade em respirar, a crise de asma é provocada por uma reação inflamatória nos brônquios, os tubos que levam o ar respirado até os pulmões. Em resposta a essa inflamação, eles ficam mais estreitos, dificultando a respiração.

Na maioria dos pacientes a crise de asma é causada por uma infecção respiratória causada por um vírus. Outras causas da crise de asma são a exposição a alérgenos - como poeira, mofo, cheiros fortes e medicamentos. "É muito importante evitar crises, uma vez que, se forem frequentes, elas levam à perda de capacidade pulmonar", explica a pneumologista Marcia Pizzichini, da comissão de asma da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT). A boa notícia é que é totalmente possível prevenir as crises de asma. Nesse Dia Nacional de Controle da Asma, comece a seguir essas orientações e mantenha os ataques bem longe. Confira a seguir.

Garanta as doses de vitamina D A carência da vitamina D está sendo relacionada a uma série de doenças do aparelho imunológico e a asma é uma delas. O papel da vitamina D na importância do tratamento da asma é recente." Para a asma em especial, as evidências ainda são fracas porém, não porque não haja benefício mas, provavelmente porque ainda não foram realizados estudos suficientes para se estabelecer algum tratamento ou uma relação de causa-efeito", explica o clínico geral Paulo Camiz, do Hospital das Clínicas.

Um estudo apresentado no Encontro Anual da Academia Americana de Alergia Asma e Imunologia, em 2010, apontou que a deficiência do nutriente pode aumentar os riscos de doenças pulmonares mais graves em crianças. A pesquisa, que avaliou 99 crianças com asma, mostrou que 47% delas tinham níveis insuficientes de vitamina D.

De qualquer forma, vale a pena ressaltar que a principal fonte de vitamina D é a exposição solar, que dever ser feita por cerca de 15 minutos, três vezes por semana. Ovos, manteiga, iogurtes e peixes, como atum e sardinha, são fontes da vitamina.