As dez respostas que você precisa saber ao receber um diagnóstico de câncer

Especialistas dão dicas que podem até tornar o tratamento mais eficaz

POR LAURA TAVARES - ATUALIZADO EM 19/10/2016

Dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA) apontam estimativa de 600 mil novos casos da doença no Brasil em 2016. Mesmo com os tratamentos cada vez mais avançados, receber um diagnóstico de câncer ainda pesa. Grade parte dos pacientes sai do consultório médico em pânico, imaginando desdobramentos que, não necessariamente, têm chances de acontecer - o susto, muitas vezes, é baseado em histórias fictícias ou em episódios de pessoas conhecidas. "Trata-se de uma notícia de impacto, certamente", afirma a psico-oncologista Luciana Holtz, presidente do Instituto Oncoguia. "Mas é preciso ir atrás de informação antes de se desesperar", complementa.

Os efeitos colaterais da medicação, as chances de cura e a necessidade de mudar a rotina são alguns dos pontos que mais geram dúvidas. Especialistas no assunto indicam dez informações essenciais, capazes de ajudar os pacientes que acabaram de receber um diagnóstico de câncer a vencerem este momento com mais serenidade.

Segunda opinião

Se o paciente não se sentiu à vontade com seu médico ou se não saiu do consultório com segurança, então, deve buscar uma segunda opinião. "Ter confiança na equipe médica que está cuidando do seu caso melhora inclusive a aderência ao tratamento", afirma o oncologista Anderson. Entretanto, a razão pela qual você quer buscar uma segunda opinião deve ser bem avaliada. Ir atrás de outros especialistas porque não ficou satisfeito com o prognóstico ou porque você acha que ele não pediu tantos exames quanto deveria pode criar falsas ilusões e até encaminhá-lo para especialistas menos qualificados.

Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.