Escolha o melhor tratamento para endometriose

Pílula especial e microcirurgia estão entre os métodos indicados para controle dos sintomas

POR MANUELA PAGAN - ATUALIZADO EM 02/12/2014

Todos os meses, o endométrio (tecido que reveste o interior do útero) fica mais espesso à espera de um bebê. Quando a mulher não engravida, ele se descama e é eliminado na menstruação. Acontece que, em alguns casos, parte do que seria expelido migra em sentido oposto e cai nos ovários ou na cavidade abdominal, dando origem a um problema bastante comum atualmente: a endometriose. A doença, caracterizada pelo crescimento do endométrio fora da cavidade uterina (trompas, ovários, intestinos e bexiga) ainda não tem causas conhecidas, mas os médicos já descobriram que existe um risco aumentado se a sua mãe ou irmã tiverem o problema. Atualmente, cerca de seis milhões de brasileiras sofrem de endometriose, sendo que até 50% delas podem ficar inférteis. "Mas existem tratamentos capazes de controlar o problema e os sintomas que ele traz, como cólicas muito fortes e sangramento intenso", afirma o ginecologista e obstetra Mauricio Abrão, presidente da Associação Brasileira de Endometriose e Ginecologia Minimamente Invasiva (SBE). Recentemente a ANVISA aprovou o uso das pílulas com baixa concentração de dienogest (2 mg) no Brasil. O remédio é o primeiro desde 1988 a ser desenvolvido especificamente para o tratamento da endometriose e já está sendo comercializado por aqui, mas ainda passa por avaliação no FDA (Food and Drugs Administration), órgão regulamentador de medicações nos Estados Unidos. Veja abaixo esse e outros tratamentos para endometriose.

Pílulas com baixa concentração de dienogeste

Recentemente foi lançado um medicamento com baixa quantidade de dienogeste (2 mg) para tratar a endometriose. O ginecologista e obstetra Mauricio Abrão, presidente da Associação Brasileira de Endometriose e Ginecologia Minimamente Invasiva (SBE), explica que esse remédio foi feito especialmente para o tratamento da endometriose e, por isso, tem uma ação hormonal específica. "O dienogeste é um progestogênio (precursor da progesterona produzido em laboratório) que tem a mesma composição do hormônio natural feminino", afirma."Ele é antagonista do estrogênio, hormônio que alimenta a endometriose e tem também baixa ação androgênica, ou seja, não causa aumento de pelos, engrossamento da voz e outras características masculinas". Vale lembrar que o remédio não dá segurança anticoncepcional para mulheres sexualmente ativas que não queiram engravidar, mas dificulta a concepção, já que diminui a ovulação.

Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.