As 10 mudanças para diminuir a falta de ar no paciente de DPOC

Adaptar a rotina para poupar esforço aumenta a independência e a autoestima

POR CAROLINA SERPEJANTE - ATUALIZADO EM 18/11/2014

Respiração curta, quase ofegante, e a necessidade de um balão de oxigênio são constantes da rotina de pacientes com DPOC (Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica), problema causado principalmente pelo tabagismo. Só no Brasil, cerca de cinco milhões de pessoas sofrem com a doença, e o número de casos cresceu 12% entre 2005 e 2010, de acordo com o Ministério da Saúde. "O cansaço e a falta de ar atrapalham a rotina desses pacientes, por isso a conservação de energia é extremamente importante, de forma que eles consigam realizar atividades profissionais, familiares e sociais sem cair no sedentarismo e minimizando os efeitos da doença em sua vida", afirma Gilberto Pucca, presidente da Associação Brasileira de DPOC. No Dia Mundial de combate à DPOC, separamos algumas mudanças simples que pode ser feitas na rotina, evitando o sofrimento com a falta de ar:

Organize suas tarefas

O paciente deve adequar o ambiente e se organizar de modo que algumas atividades não se repitam todos os dias. "Lavar roupas e estendê-las em dois dias consecutivos, por exemplo, cansa demais o portador de DPOC", afirma a fisioterapeuta Camila. Organizar a agenda de tarefas da casa é fundamental, para que as atividades pesadas sejam feitas em dias alternados e nunca de uma vez só. "Gavetas, utensílios e equipamentos da cozinha que usamos com frequência devem sempre ficar na altura do tronco, dispensando a necessidade de se flexionar para pegá-los." Para quem mora em sobrados, a recomendação é concentrar as atividades do dia em apenas um andar, ou com o mínimo possível de subidas e descidas.

Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.