Tabagismo encurta vida em 10 anos, aponta estudo

Longevidade pode ser recuperada abandonando o hábito de fumar

POR REDAÇÃO - PUBLICADO EM 28/01/2013

"Fumei a vida inteira e nunca tive nada". A frase, muitas vezes usada para justificar o tabagismo como um hábito inofensivo, mostra que grande parte dos fumantes não está disposta a largar o vício. Entretanto, ao primeiro sinal de problemas pode ser tarde para dar um basta no cigarro, o que pode comprometer a longevidade. Isso é o que mostram novos estudos publicados no The New England Journal of Medicine, na última quinta-feira (24). A descoberta foi feita por especialistas americanos e canadenses de instituições como a Global Health Institute, em Toronto.

Foi analisado o histórico de 113.752 mulheres e 88.496 homens fumantes ou ex-fumantes com idade superior a 25 anos. Os pesquisadores estudaram registros dos participantes de 1997 a 2004. Eles concluíram, então, que tabagistas morrem, em média, 10 anos antes do que o restante da população. Isso mostra que, embora os efeitos nocivos do cigarro apareçam apenas em longo prazo, eles tendem a ser bastante agressivos.

A boa notícia, porém, é que largar o vício entre os 30 e 40 anos pode devolver até nove anos de vida do fumante. Se abandonado entre 40 e 50 anos, são até seis anos de vida recuperados. Depois dos 65 anos, é possível reaver cerca de quatro anos. Vale lembrar, entretanto, que, mesmo cessando o hábito, o risco de morte continua sendo maior do que o da população em geral. Sabendo disso, que tal estipular uma nova meta e parar de fumar? Aqui vão dicas de como tornar o processo menos sacrificante:

Evite locais com muitos fumantes

Da mesma forma que uma pessoa em dieta deve evitar um restaurante com pratos principais muito calóricos, quem deseja largar o cigarro precisa se afastar de lugares com muitos fumantes. "Ficar próximo à tentação nos primeiros dias sem cigarro pode ser muito difícil", afirma a psicóloga Laura de Hollanda Batitucci Campos, das Clínicas Oncológicas Integradas (COI). Ela sugere ainda evitar consumir bebidas alcoólicas, já que beber está intimamente ligado ao hábito de fumar. "Com o tempo fica mais fácil conviver com outros fumantes", diz.

Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.