Cirurgia de hiperidrose pode causar suor excessivo em outras regiões do corpo

Ainda assim, maior parte dos pacientes se diz satisfeita

POR LAURA TAVARES - ATUALIZADO EM 03/11/2016

Suar durante a prática de exercícios e em dias muito ensolarados é uma resposta automática - e esperada - do organismo para regular a temperatura do corpo. Algumas pessoas, entretanto, apresentam suor excessivo independente de estímulos externos, o que causa desconforto e constrangimento. Esses indivíduos são vítimas da chamada hiperidrose, doença que afeta cerca de 10% dos brasileiros, segundo um estudo inédito feita pelo Instituto Ipsos, que faz pesquisas de mercado, divulgada neste mês de fevereiro.

De acordo com o cirurgião torácico Antonio Vendrami Malucelli, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Torácica, por ser uma disfunção genética, a hiperidrose costuma ser mais comum entre membros de uma mesma família, mas, em qualquer caso, tem tratamento. "Há opções menos invasivas, como o uso de desodorantes antitranspirantes e medicamentos anticolinérgicos até aplicação de botox e cirurgias", explica.

Em geral, a cirurgia é recomendada para pacientes que não apresentaram melhora do quadro de hiperidrose com métodos menos invasivos. "Os tratamentos definitivos são cirúrgicos e buscam resolução definitiva do problema", afirma o cirurgião torácico Eduardo de Campos Werebe, retaguarda de cirurgia torácica do Hospital Albert Einstein.

A seguir, tire suas principais dúvidas sobre os procedimentos cirúrgicos:

Existe mais de um tipo de cirurgia?

"Os dois procedimentos cirúrgicos realizados para tratamento da hiperidrose são aspiração das glândulas sudoríparas e simpatectomia torácica ou cirurgia no nervo simpático", aponta o cirurgião torácico Antonio.

Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.