Aprenda a usar a bombinha de asma em oito passos

Respiração correta e posição do aparelho são essenciais para absorção do medicamento

POR CAROLINA SERPEJANTE - ATUALIZADO EM 01/11/2016

Quem tem asma muitas vezes precisa enfrentar uma luta diária para evitar a falta de ar e o sofrimento com os chiados no peito. Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), aproximadamente 235 milhões de pessoas sofrem de asma no mundo, e estima-se que 20% da população brasileira encare a doença. De acordo com o Ministério da Saúde, a asma é responsável por aproximadamente 350.000 internações hospitalares no SUS por ano. Para conviver com as crises sem problemas, é importante que o paciente tome a medicação, geralmente ministrada por meio de inaladores - o mais comum é o nebulímetro, a popular bombinha de asma que tem o formato em "L". "Os broncodilatadores são mais eficazes que medicamentos orais, por exemplo, porque agem diretamente do local afetado pela doença, que são os brônquios", afirma o pneumologista Roberto Rodrigues Junior, do laboratório Exame, em Brasília. Mas mesmo o broncodilatador perde a eficácia se não for usado da maneira correta. No Dia Mundial da Asma (7 de maio), aprenda com os especialistas a usar o nebulímetro para tratar as crises de asma sem sufoco:

Respire corretamente

Para que a medicação seja absorvida da forma correta, é importante coordenar sua respiração com a liberação do medicamento. "Solte todo o ar dos pulmões logo antes de fazer a inalação, posicione o nebulímetro, acione o spray e puxe o ar ao mesmo tempo, lentamente", explica a alergista Marisa. Quando terminar de inspirar o ar, conte mentalmente até dez, segurando a respiração. "Isso garante a boa penetração dos medicamentos nos pulmões", diz. A especialista lembra que esse processo deve ser feito sem pressa: "A respiração muito rápida acarreta um fluxo turbulento, fazendo com que as partículas fiquem nas vias aéreas superiores, enquanto a inspiração lenta e uniforme regulariza o fluxo das partículas, aumentando a proporção depositada nas vias aéreas inferiores."