Medicação usada para tratar colesterol alto pode causar lesões nos músculos e ossos

Estatinas aumentam as chances de dor, entorse e artrite, diz estudo

POR REDAÇÃO - PUBLICADO EM 06/06/2013

A cada ano, os médicos têm prescrito cada vez mais medicamentos da classe das estatinas, com o objetivo de diminuir o colesterol e, consequentemente, tratar doenças cardiovasculares. Os especialistas concordam que, acompanhada da tomada de hábitos saudáveis, o remédio é eficaz em sua função. No entanto, os efeitos adversos dessa medicação ainda são nebulosos. Um estudo publicado dia 3 de junho no site do Journal of American Medical Association (JAMA) traz novas evidências que sugerem que pessoas que tomam as estatinas estão mais suscetíveis a desenvolverem problemas musculoesqueléticos.

Pesquisadores das instituições Brooke Army Medical Centre, Uniformed Service University of Health Sciences, University of Texas, e the South Texas e North Texas Veterans Affairs Health Care Systems analisaram informações de 6.967 usuários de estatinas e um grupo de número semelhante composto por não usuários da medicação. Eles descobriram que os usuários de estatinas tinham maior propensão a desenvolver os seguintes problemas:

- Qualquer problema musculoesquelético
- Luxação, tensão e entorse (torção)
- Dor musculoesquelética
- Osteoartrite e artropatia

Entre os grupos, os usuários de estatinas tiveram razão probabilidade maior para todas as doenças musculoesqueléticas (1.19), para luxação, tensão e entorse (1.13) e para dor musculoesquelética associada à medicação (1.09). Análises secundárias revelaram maior razão de probabilidade para usuários de estatina em todos os efeitos adversos citados anteriormente.

Segundo os pesquisadores, os resultados indicam que o universo de eventos adversos das estatinas não foi totalmente explorado e indicam a necessidade de mais estudos com esse tema.

Outros hábitos para controlar o colesterol

Você sabia que mesmo pessoas que já apresentam colesterol alto podem diminuir os níveis de colesterol ruim (LDL) e aumentar os de colesterol bom (HDL) com a dieta adequada? Há casos em que os remédios são insubstituíveis, mas mesmo nestes vale apenas adotar bons hábitos. Invista nas trocas saudáveis que sugerimos a seguir:

Oleaginosas

Por que não optar por uma porção de castanhas, por exemplo, em vez dos salgadinhos? Társia conta que as oleaginosas são alimentos ricos em gorduras monoinsaturadas, responsáveis por "retirar" as moléculas de colesterol das artérias, diminuindo o colesterol total e protegendo contra as doenças cardiovasculares. "Porém, apesar dos benefícios, elas devem ser consumidas com moderação, já que possuem elevado teor calórico e podem levar ao aumento de peso", completa.

Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.