Hiperglicemia pode aumentar risco de demência mesmo em quem não tem diabetes

Altos níveis de açúcar no sangue são perigosos até para pessoas saudáveis, diz estudo

POR REDAÇÃO - PUBLICADO EM 04/09/2013

A diabetes é um fator de risco para a demência, e estudo anteriores já mostraram que a hipoglicemia em pessoas com a doença também pode aumentar o risco do problema. Agora, pesquisadores da University of Washington, da Harvard Medical School e da Harvard School of Public Health - todas dos Estados Unidos - descobriram que altos níveis de glicose no sangue estão relacionados com maior incidência de demência mesmo em pessoas que não tem diabetes.

Os cientistas acompanharam 2.067 participantes (839 homens e 1.228 mulheres) sem demência com idade média de 76 anos, sendo que 232 participantes tinham diabetes e 1835 não sofriam com a doença. Foram feitas 35.264 medições clínicas de níveis de glicose e 10.208 medições dos níveis de hemoglobina glicada durante uma média de 6,8 anos de acompanhamento. Fatores como sexo, nível educacional, prática de exercícios, pressão arterial, tabagismo e risco de doenças cardiovasculares foram levados em conta.

Durante o estudo, 524 participantes desenvolveram demência (74 com diabetes e 450 sem). Entre os participantes sem diabetes, níveis de glicose médios mais elevados nos últimos cinco anos foram relacionados a um risco aumentado de demência em comparação com aqueles que tinham níveis ajustados. Entre os participantes com diabetes, os níveis de glicose médios mais elevados também foram relacionados a um risco aumentado de demência.

Segundo os autores, os resultados sugerem que os níveis de glicose mais elevados podem ser um fator de risco para a demência, mesmo entre as pessoas sem diabetes. Dessa forma, é importante manter o monitoramento da glicose nos check-ups médicos e procurar manter seus níveis sempre dentro da normalidade.

Sete estratégias para reduzir o açúcar do seu cardápio
Para reduzir a glicose circulante no sangue, a principal estratégia é reduzir o consumo de açúcar e alimentos refinados. Confira as principais medidas recomendadas por nutricionistas para não ultrapassar a recomendação diária de açúcar, que é de 200 calorias em uma dieta de 2.000 calorias por dia:

Corte o refrigerante

"Abolir o refrigerante da alimentação é a primeira e mais eficiente medida para reduzir o consumo de açúcar", afirma a nutricionista Amanda Epifânio, do Centro Integrado de Terapia Nutricional (Citen), em São Paulo. Segundo a profissional, beber uma latinha de refrigerante todos os dias resulta na ingestão de um quilo de açúcar no fim do mês. Também devem ser evitados sucos de caixinha, que, apesar do nome, tem mais conservantes, açúcar e corante do que suco, de fato. "Para matar a sede, nada melhor do que água, sucos naturais diluídos ou isotônicos, quando se estiver praticando exercícios", complementa.

Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.