Aterosclerose pode ser prevista por alterações da pressão arterial

Estudo mostra que 25% das pessoas com hipertensão descontrolada apresentaram a doença

POR REDAÇÃO - PUBLICADO EM 05/12/2013

De acordo com um novo estudo, publicado online dia 04 fevereiro no JAMA, as pessoas que têm níveis crescentes pressão arterial na idade adulta são mais propensas a desenvolver problemas cardíacos e aterosclerose. O trabalho foi desenvolvido por pesquisadores do departamento de medicina preventiva da Northwestern University (EUA).

A aterosclerose acontece quando placas de gordura e colesterol se acumulam no interior das artérias de uma pessoa. Estas placas podem limitar o fluxo de sangue, levando a graves e potencialmente fatais problemas, como doenças cardiovasculares e infarto. Pelo fato da aterosclerose não causar sintomas até bloquear uma artéria, muitas pessoas não sabem que têm essa condição antes de uma emergência.

Especialistas sabem que a pressão arterial elevada é um fator de risco para aterosclerose e doença cardíaca, mas é um fator levado em conta somente para pacientes na meia idade ou idosos. Entretanto, o novo estudo mostra que quanto maiores as alterações na pressão arterial de um indivíduo ao longo do tempo, maior a probabilidade da pessoa desenvolver doenças cardíacas.

A pesquisa acompanhou as leituras de pressão arterial de 4.681 pessoas ao longo de um período de 25 anos, a partir de meados dos anos 1980, quando as pessoas no estudo tinham entre 18 e 30 anos. Para medir essa probabilidade de doenças cardíacas, os pesquisadores examinaram a quantidade de "calcificação da artéria coronária" (CAC) - essa medida mostra o quanto a aterosclerose poderia estar afetando as artérias do coração.

A partir desses dados, os pesquisadores foram capazes de detectar cinco trajetórias pressão arterial distintas:

- 22% dos participantes mantiveram a pressão arterial baixa durante todo o período do estudo;
- 42 % tinham níveis de pressão arterial moderada ao longo do estudo;
- 19% tinham pressão arterial bastante elevada durante todo o acompanhamento;
- 5% iniciaram o estudo com pressão arterial elevada, que aumentou ao longo do período de estudo.

O grupo que apresentou os maiores níveis de CAC foram os participantes cuja pressão arterial aumentou ao longo do período de estudo - cerca de 25 % dessas pessoas tinham uma alta pontuação de calcificação da artéria coronária. Por outro lado, no grupo que manteve a pressão arterial baixa, apenas 4% tiveram uma alta pontuação CAC.

A pressão arterial elevada tem sido usado para prever o risco de acidente vascular cerebral e probabilidade de ataque cardíaco fatal, por isso, os autores do estudo acham que os padrões de pressão arterial também poderiam ser usados para prever a aterosclerose e seus prejuízos ao longo da vida.

Segundo os autores, são necessárias pesquisas adicionais para examinar a utilidade das trajetórias de pressão arterial específicas na predição de risco para doença cardiovascular, e se seria possível tratar a arteriosclerose precocemente.

Plano mensal: siga 30 passos e fique longe da hipertensão
Dados do Ministério da Saúde apontam que a hipertensão atinge 22,7% dos brasileiros em idade adulta. Em idosos, essa porcentagem é ainda maior - 59,7% da terceira idade sofre com hipertensão no Brasil. Responsável por 40% dos casos de infarto, 80% dos acidentes vascular cerebral (AVC) e 25% dos casos de insuficiência renal terminal, a hipertensão é uma doença silenciosa, que precisa de cuidados para vida toda.

A nefrologista Kátia Ortega, da Sociedade Brasileira de Hipertensão, afirma que a obesidade e o sedentarismo são os principais fatores de riscos para a doença. "No entanto, existem diversas hábitos e condições de saúde que podem contribuir para o quadro", diz. O cuidado para prevenção e controle da doença é diário. Confira abaixo a estratégia numa lista de 30 dica para combater a doença:

Consuma mais alimentos ricos em potássio

Esse nutriente age estimulando a eliminação do sódio presente no corpo, diminuindo a retenção de líquidos e a pressão arterial. Dessa forma, alimentos ricos em potássio são muito recomendados para hipertensos ou pessoas no grupo de risco para hipertensão. "O potássio está presente no inhame, no feijão preto, na abóbora, na cenoura, no espinafre, no maracujá, na laranja, na banana e em diversos outros alimentos", explica a nutricionista Cátia Medeiros, da clínica Espaço Nutrição.

Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.