Câncer de pâncreas: quatro em 10 casos poderiam ser evitados com mudanças de estilo de vida

Tabagismo e excesso de peso são fatores relacionados com incidência do tumor, diz estudo

POR REDAÇÃO - PUBLICADO EM 03/07/2014

Um estudo desenvolvido pela Cancer Research UK mostrou que quase 40% dos casos de câncer de pâncreas - uma das formas mais mortais de câncer - poderiam ser evitados com bons hábitos de vida, tais como não fumar e manter o peso ideal. Os resultados foram publicados no British Journal of Cancer.

Por ser difícil de diagnosticar precocemente e sem comportamento agressivo, o câncer de pâncreas tem altas taxas de mortalidade. No Brasil, segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA), a doença é responsável por cerca de 2% de todos os tipos de câncer diagnosticados e por 4% do total de mortes pelo problema.

Enquanto mais pesquisas são necessárias para encontrar melhores formas de diagnosticar e tratar a doença, há evidências sugerindo que alguns tipos de câncer de pâncreas estão ligados ao excesso de peso e tabagismo - e quase quatro em cada 10 poderiam ser evitados por mudanças nesses hábitos.

A equipe analisou os casos de câncer de pâncreas que ocorreram no Reino Unido em 2010 e relacionaram com 14 fatores de risco ambiental para o tumor:

- Álcool
- Amamentação
- Exposição a hormônios exógenos
- Ingestão de fibras
- Ingestão de frutas e legumes
- Infecções
- Ambiente de trabalho
- Excesso de peso e obesidade
- Atividade física
- Exposição à radiação
- Ingestão de carne vermelha e processada
- Ingestão de sal
- Exposição à luz solar
- Tabagismo

O tabagismo foi, de longe, o fator mais importante de risco para câncer no estudo, responsável por 28,7% de todos os casos de câncer de pâncreas, tendo relação com 31% dos casos em mulheres e 26,2% da incidência em homens. Já o excesso de peso e obesidade estavam relacionados com 12,2% de todos os casos de câncer de pâncreas no Reino Unido, sendo que 11,5% dos tumores desse tipo estavam ligados com excesso de peso em mulheres e 12,8% dos casos com homens.

Os autores afirmam que o aparecimento do câncer depende de um conjunto complexo de fatores. Para alguns, o estilo de vida pode ter um papel importante e deve ser levado em conta em pacientes com histórico familiar e outros riscos para o câncer. Eles explicam que ter consciência sobre o que ajuda na prevenção de um câncer tão agressivo é um passo para redução de mortes pela doença.

Adote dez passos para prevenir vários tipos de câncer
Segundo o IBGE, o câncer é a segunda maior causa de mortes no Brasil - sendo responsável por 15,6% dos óbitos -, perdendo apenas para doenças cardiovasculares (como infarto e hipertensão). Isso se deve, principalmente, à maior exposição aos fatores de risco, como o cigarro, alimentação inadequada e o abuso do álcool. Em contrapartida, quem segue uma vida mais saudável consegue prevenir-se e diminuir os riscos de ter a doença. Para estimular a população na luta pelo controle e prevenção, o Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp) lançou uma cartilha listando os dez passos que afastam a doença. Conheça quais os hábitos recomendados e por que eles são tão necessários para quem quer evitar um câncer.

2. Não abuse de bebidas alcoólicas

"O álcool aumenta a chance de desenvolvimento de alguns tumores, como intestino, esôfago e fígado. Mas o que mais se nota é que ele potencializa os efeitos do tabaco", justifica o oncologista Gilberto de Castro Jr., do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp). Ele explica que, por potencializar os efeitos do cigarro, o risco de um tumor localizado nos órgãos afetados pelo fumo é muito maior.

Além disso, estudos científicos têm relacionado o abuso do álcool com outros tipos de câncer. De acordo com a Agência Internacional de Pesquisa sobre o Câncer, a quantia de 18 gramas (aproximadamente duas doses) de álcool por dia eram suficientes para aumentar significantemente o risco de desenvolver câncer de mama. Com o consumo de 50 gramas diárias, o risco aumenta em 50%. Outro estudo, este realizado pelo Fred Hutchinson Cancer Research Center, especializado em pesquisas sobre câncer nos Estados Unidos, descobriu que as mesmas 50 gramas por dia, em homens, dobram as chances de desenvolver câncer de próstata.

Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.