Evite nove erros ao tomar antibióticos

Parar o tratamento e esquecer a medicação interferem no curso da doença

POR CAROLINA SERPEJANTE - ATUALIZADO EM 14/10/2014

Nem todo mundo trata o assunto com a seriedade que ele merece. Qualquer dor de cabeça basta para correr à farmácia e pedir uma caixa daquele remédio que alguém na família tomou - mas isso pode ser um tiro no pé quando o assunto é usar antibióticos, uma vez que eles precisam de prescrição médica rigorosa. Existem várias fórmulas para combater a mesma doença, e só um médico sabe a mais adequada. Confira os erros mais comuns do tratamento com antibióticos, os perigos relacionados e como proceder em situações de surpresa, como o esquecimento de uma dose ou o aparecimento de alergias:

Tomar antibiótico sem prescrição

O erro é grave com qualquer medicamento - mas com os antibióticos em especial, o perigo é dobrado. Há vários riscos envolvidos: alergia, intoxicação e, por fim, o não tratamento da doença. "Doenças virais não são combatidas com antibióticos, por exemplo", mostra o infectologista Jorge. Além disso, tomar os medicamentos à toa acaba afetando as bactérias naturais do nosso corpo e, muitas vezes, elas tornam-se nocivas e passam a causar doenças. "Outro efeito recorrente é as bactérias eventualmente nocivas criarem resistência ao antibiótico se ele for usado indiscriminadamente, quando em alguns casos ele nem seria necessário para o tratamento", alerta o especialista. Sendo assim, antes de optar pelo tratamento, é melhor verificar com um médico se a sua doença pede mesmo o antibiótico, qual a dose e o período necessário.

Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.